Assaltantes acabam com festa de aniversário em Belo Horizonte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de setembro de 2003 as 01:40, por: cdb

Cerca de 40 pessoas que participavam de uma festa de aniversário na noite do último sábado, entre elas dez crianças, no Bairro Juliana, Região Norte de Belo Horizonte, foram assaltadas e mantidas como reféns durante quatro horas, por quatro homens armados com revólveres.
 
Os bandidos saquearam todos os adultos e a casa onde era realizada a festa, sendo obrigados a transportar os bens roubados em duas viagens.

As vítimas pediram para que não fossem identificadas, mas R.F., dona da casa, disse que os convidados foram imobilizados com fita crepe e trancados dentro de dois quartos.
 
R.F. contou que a festa comemorava o aniversário de seu marido, que é muito conhecido no bairro, e que os bandidos levaram vinte celulares, relógios, algumas jóias, dinheiro e outros objetos pessoais dos convidados.

Depois dos saques, os convidados foram mantidos dentro dos quartos, imobilizados, enquanto os assaltantes, que apontavam armas contra os donos da casa, saqueavam a residência, escolhendo os melhores televisores, aparelhos eletroeletrônicos, jóias da família, vídeos e outros objetos de valor.
 
Primeiro, segundo R.F., eles levaram grande parte dos objetos em um automóvel, deixando um comparsa armado vigiando as vítimas. Depois, voltaram com grandes malas e sacolas para levar o resto do produto do assalto.

Ninguém ficou ferido durante o assalto e a Polícia Militar enviou uma guarnição que chegou ao local minutos depois, quando os assaltantes haviam desaparecido.
 
A ocorrência feita no local foi registrada na 7ª Seccional de Venda Nova, que vai investigar o assalto. Entre as pessoas que participavam da festa, havia dez crianças, e uma delas estava sendo amamentada na hora em que os bandidos invadiram a casa e anunciaram o assalto, ameaçando atirar contra quem tentasse reagir ou fugir.

Um homem que participava da festa contou para a polícia que o bandido que liderava o assalto falou com outra pessoa, por um celular, se dizendo desapontado porque ‘não encontrou nenhuma casa de luxo e nenhum rico’.

Isso fez surgir a suspeita de que os quatro assaltantes, que pareciam conhecer a casa por dentro, tenham sido incentivados por alguém conhecido da família a praticar o assalto, que teria sido minuciosamente planejado.

Integrantes da família proprietária da residência afirmaram ser incapazes de calcular o total de prejuízos. Mas os policiais militares que estiveram no local preencheram três folhas de ocorrência com detalhes do crime.