AS VICISSITUDES PRESIDENCIAIS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de agosto de 2002 as 07:44, por: cdb

A imprensa democrata dos Estados Unidos chama o Ministério de Bush de
“Liga do Copo”. Todos os Bush’s boys são amigos de Jack Daniels e depois da primeira garrafa desandam a dizer impropriedades. Não há muito que reclamar, porque todo o Poder bebe. Mas talvez o mundo melhorasse se eles, ao invés de bourbon, bebessem o bom scotch. Afinal, Churchill tomou a maioria de suas decisões históricas com mais de três doses no bucho. Puras com apenas “a pinch of water”.
Não há um só personagem histórico que fosse bebedor de bourbon. O Secretário americano do Tesouro acaba de nos responder, porque o bourbon não merece confiança. Depois de apenas uma dose, que, com uma certa boa vontade e levando em conta o tamanho dos copos americanos, pode ser chamada de dupla. Ele se pôs a chamar os presidentes latino americanos de ladrões. Não que não o sejam, chovem exemplos gloriosos, mas entre os acusados estava o nosso presidente Fernando Henrique Cardoso, que embora empregue bem os filhos, nunca enviou dinheiro para a Suíça. Até talvez, raciocinando em termos radicais, ele tenha tido a vontade, é que sofremos de uma deficiência crônica do produto.
Depois, não confiamos na Suíça. Como disse a esposa de um ministro “nem falam inglês por lá”. Esta certo que Fernando Henrique fala francês, como qualquer burguês refugiado que se preze, mas vamos dizer que ele escolha um banco alemão. Que terrível constrangimento no caixa. Sprecht Zie Deutsch? Talvez sejam questões culturais que afastem os nossos presidentes da Suíça. Seja como for, Fernando Henrique ficou ofendido e exigiu desculpas. Aí deve ter entrado o Fraga, que com sua larga experiência com o Soros, esclareceu que nos altos escalões todos os pedidos de desculpas vêm acompanhados de dinheiro.
Atingido no seu ponto mais sensível, Mr. O’Neill foi tomado por uma súbita, mas profunda brasilofilia. Provavelmente reforçou seu arrependimento com algumas doses de Jack Daniels que, como sempre, o levaram ao exagero de dizer que temos um excelente governo, que o FMI vai nos dar todo o dinheiro que quisermos e que ele é um boquirroto da pior espécie. Ao invés de agradecer pela pizza texana, Fernando Henrique foi tomado por funda depressão e quando menos se esperava, saiu a dizer que o mundo estava louco.
Ora, se ele tem boa memória deve estar lembrado que foi justamente o que dissemos quando ele se apaixonou pela globalização. Ao invés de nos ouvir, ele passou dez anos tentando nos convencer do contrário. Bom que tenha mudado de opinião. É um pouco tarde, mas como dizem antes tarde do que nunca. Falando nisso, como se sai desse hospício em que ele nos meteu?