Artista britânico cobre crânio com 8 mil diamantes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 1 de junho de 2007 as 17:00, por: cdb

O artista britânico Damien Hirst revelou nesta sexta-feira a sua mais nova obra: um crânio coberto de diamantes. Acredita-se que a peça, avaliada em 50 milhões de libras (R$ 200 milhões), seja a obra mais cara da arte contemporânea.

O crânio foi totalmente coberto com 8.601 diamantes e os novos dentes que a peça ganhou foram refeitos ao preço de 14 milhões de libras (R$ 56 milhões).

Acredita-se que o crânio tenha pertencido a um europeu de 35 anos que viveu entre os anos 1720 e 1810. As jóias custaram 12 milhões de libras (R$ 48 milhões) e, segundo o artista, foram adquiridas legalmente. Hirst nomeou a obra de Pelo amor de Deus e diz que a peça “é de tirar o fôlego”.

Damien Hirst disse ter se inspirado no crânio asteca coberto de pedras turquesa, que se encontra em exibição no British Museum, em Londres. Agora, um dos desejos do artista é que seu mais novo trabalho seja exposto no mesmo museu.

Ate então, o maior trabalho de Hirst era um tubarão conservado em um tanque de formol. O artista também é famoso pelo quadro que pintou retratando o nascimento de seu filho e, numa obra similar ao do tubarão, suspendeu um tanque de formol com um tigre cortado pela metade.