Artista argentina cria esculturas de cabelo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de agosto de 2011 as 19:04, por: cdb

Artista argentina cria esculturas de cabeloA artista argentina Augustina Woodgate se especializou em criar esculturas com cabelo, como este castelo. ?Comecei recolhendo meu próprio cabelo que caía durante o banho?, diz ela. Esta torre de 1,4 metro de altura foi feita com 3 mil peças de cabelo. ?Escolhi este material do corpo humano que tem uma grande carga de tabus culturais e políticos?.Para suas obras, a artista coletou cabelos de conhecidos e desconhecidos. ?Me interesso pela memória, a morte, o nascimento e a renovação?.Durante cinco anos, ela instalou pequenos salões de cabeleireiro itinerantes, como este de Miami, que cortavam os cabelos de graça.?Não sabia o que faria com todo o cabelo reunido?, disse ela. Acima, cortando cabelos em Porto Rico. Acima, escovas feitas com cabelos de sua bisavó, avó, mãe e da própria Augustina. ?Este é um retrato da minha família materna?, diz ela.Esta obra chama-se ‘Um desejo’. ?Existe a crença de que cada vez que cai um pelo da sobrancelha, duas pessoas o pressionam com seus dedos indicadores. Quem permanecer com o pelo, ganha o direito a um desejo?, afirma.Com os quilos de cabelos coletados, ela confeccionou também pantufas. Em seu projeto mais recente, a artista desmanchou bichos de pelúcia e com o material costurou manualmente tapetes. A ideia é fazer referências a memórias afetivas.Em culturas orientais, os tapetes centralizam o espaço e tem mais do que apenas utilidades práticas, mas descrevem paisagens espirituais e mentais nos tecidos.

A artista argentina Augustina Woodgate se especializou em criar esculturas com cabelo. ?Comecei recolhendo meu próprio cabelo que caía durante o banho?, diz ela.

“Escolhi este material do corpo humano que tem uma grande carga de tabus culturais e políticos”, diz ela, que coletou cabelos de conhecidos e desconhecidos.

Durante cinco anos, ela instalou pequenos salões de cabeleireiro itinerantes que cortavam os cabelos de graça.

Com os quilos de cabelos coletados, ela confeccionou também pantufas.

Em seu projeto mais recente, a artista desmanchou bichos de pelúcia e com o material costurou manualmente tapetes. A ideia é fazer referências a memórias afetivas.