“Argo” vence nas categorias de melhor drama e melhor direção no Globo de Ouro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 as 12:06, por: cdb
Dirigido por Ben Affleck, "Argo" conta a história do resgate de diplomatas norte-americanos no Irã durante a Revolução Islâmica
Dirigido por Ben Affleck, “Argo” conta a história do resgate de diplomatas norte-americanos no Irã durante a Revolução Islâmica

Argo, drama sobre reféns norte-americanos no Irã, recebeu no domingo os cobiçados prêmios de melhor filme dramático e melhor direção, para Ben Affleck, no Globo de Ouro, desbancando o favorito Lincoln, que ficou com apenas um troféu. Os Miseráveis recebeu o prêmio de melhor comédia ou musical, além de prêmios de atuação para Hugh Jackman e Anne Hathaway.

Foi, sob vários aspectos, uma cerimônia cheia de surpresas para a entrega de um dos principais prêmios de Hollywood, que fica atrás apenas do Oscar. A atriz Jody Foster assumiu publicamente sua homossexualidade pela primeira vez, e o ex-presidente Bill Clinton compareceu à festa.

Mas o grande assunto foi a derrota de Lincoln, drama histórico do cineasta Steven Spielberg, que tinha sete indicações. Ben Affleck, estreante na direção, foi preterido nessa categoria nas indicações ao Oscar, anunciadas na quinta-feira. Mas Argo está na disputa pelo prêmio de melhor filme da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. O Oscar será entregue em 24 de fevereiro.

Argo combina uma sátira a Hollywood com a história real do resgate de diplomatas dos EUA retidos em Teerã depois da Revolução Islâmica de 1979, sob a justificativa da realização de um filme.

George Clooney, produtor de Argo, disse a jornalistas no domingo que ficou decepcionado com a exclusão de Affleck da disputa pelo Oscar de direção. “Acho que ele fez um trabalho fenomenal com o filme. Senti que ele deveria ser indicado, mas não dá para entender o que acontece na Academia, e ele ainda foi indicado a melhor filme. É frustrante, mas ainda estamos no páreo”, disse Clooney.

O ator britânico Daniel Day-Lewis, que interpreta Abraham Lincoln, ganhou o único Globo de Ouro para Lincoln, que concorre a 12 Oscars.  Mas a Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood, que concede o Globo de Ouro, manifestou admiração por “Django Livre“, faroeste de Quentin Tarantino ambientado na época da escravidão nos EUA. O filme levou dois prêmios  de roteiro, para Tarantino, e de ator coadjuvante, para Christoph Waltz, como um dentista que vira caçador de recompensas. Ao receber seu prêmio, Tarantino se disse “feliz por estar surpreso”.

Em outras disputas importantes, Jessica Chastain confirmou seu favoritismo ao Globo de Ouro de melhor atriz dramática, por A Hora Mais Escura, e Jennifer Lawrence levou o prêmio de atuação em comédia ou musical, por O Lado Bom da Vida.