Argentinos bloqueiam estrada em protesto contra o Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de dezembro de 2001 as 01:29, por: cdb

O Brasil voltou a ser o vilão da recessão argentina. Desta vez, os alvos de dois fortes protestos, realizados nesta terça-feira, foram os caminhoneiros e os fabricantes de sapatos brasileiros, enquanto no interior da Argentina, os caminhoneiros interromperam o trânsito dos ônibus e dos caminhões que partiram do Brasil.

No centro de Buenos Aires, os fabricantes de calçados gritaram palavras de ordem e ergueram faixas contra a importação do produto brasileiro. Depois da disputa pela comercialização do frango, do aço e outros tantos itens, sapatos e transportes prometem ser as novas dores de cabeça na área comercial dos dois principais sócios do Mercosul, o Brasil e a Argentina.

Os caminhoneiros argentinos interromperam o trânsito em duas rodovias argentinas, que ligam o Paraná e o Rio Grande do Sul ao país vizinho. Dez ônibus de turistas que saíram de cidades brasileiras em direção à Argentina estão parados na localidade argentina de Chacari, a 300 quilômetros de Uruguaiana, no Brasil, onde também há também uma fila de caminhões, sendo que todos foram impedidos de continuar a viagem na Argentina.

Os caminhoneiros argentinos protestam contra os preços considerados baixos cobrados no mercado brasileiro, o que, segundo eles, leva as empresas argentinas a contratarem serviços de transportes no Brasil.

Já no centro de Buenos Aires, os fabricantes de sapatos ergueram faixas e distribuíram panfletos que diziam: “Basta de importações selvagens do Brasil” e “Importação do Brasil, desemprego na Argentina”. O titular da União Industrial Argentina (UIA), José de Mendiguren, participou do protesto.

“O setor de calçados do Brasil conta com bilhões de apoio do governo brasileiro. A Argentina tem que decidir se quer ou não continuar fabricando o produto. Assim como está, o setor não sobreviverá às importações brasileiras.”

O protesto, que reuniu ainda trabalhadores do setor de fabricaçãoo de calçados, levou o Ministério das Relações Exteriores a reforçar o policiamento no local, já que a manifestação foi realizada em frente à sede do Ministério argentino.

No ano passado, o Brasil exportou 19 milhões de pares de sapatos para a Argentina – um país que já teve fama mundial de fabricar o produto. Mas nos primeiros 11 meses deste ano, o Brasil já exportou 20 milhões de pares – cerca de 20% do total de sapatos produzidos na Argentina.

As disputas comerciais na área de sapatos começaram em 1999, logo após a desvalorização do real. Com a economia argentina atrelada ao dólar, o produto brasileiro ficou ainda mais barato frente ao produto argentino e em 1999, a Argentina começou importando 12 milhões de pares de sapatos brasileiros.