Argentinos acreditam que vitória de Lula será bom para o país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 1 de dezembro de 2002 as 18:14, por: cdb

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, desembarca hoje à noite em Buenos Aires, sob uma forte expectativa do povo argentino sobre como o seu governo vai atuar nas relações entre os dois países e na reconstrução do Mercosul.

Uma pesquisa divulgada hoje pelo Clarín, principal jornal argentino, realizada pela empresa de consultoria Graciela Romer y Asociados, mostra que 43% dos argentinos acreditam que a vitória do Partido dos Trabalhadores nas eleições presidenciais será favorável à Argentina.

Outros 29% acreditam que a vitória de Lula não influencirá nas relações entre os dois países. Ainda segundo a pesquisa, 53% dos entrevistados acreditam que esse é o momento para aprofundar as relações comerciais no Mercosul. Apenas 6% preferem que a Argentina negocie diretamente com a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), proposta pelos Estados Unidos.

O presidente da Central dos Trabalhadores da Argentina (CTA), Victor De Gennaro, disse em entrevista ao Clarín, que a vitória de Lula não é importante apenas para a Argentina, mas para toda a América Latina. “Mas temos que aprender com o PT e não copiar os instrumentos. Aprender a acreditar que se pode ganhar e que a Argentina será governada pelos argentinos”, disse Gennaro.

Segundo o programa da viagem do presidente eleito, divulgado pelo Itamaraty, a chegada de Lula a Buenos Aires está prevista para as 21h (horário local), 22h de Brasília. Nesta segunda-feira, Luiz Inácio Lula da Silva se reúne com o presidente Eduardo Duhalde, na residência de Olivos, nos arredores de Buenos Aires. A previsão é de que ele participe de um café da manhã.

À tarde, encontra-se com o chefe de governo da cidade de Buenos Aires, Anibal Ibarra. Lula também visitará o parlamento argentino e à noite participa de recepção na Embaixada do Brasil em Buenos Aires, que contará também com a presença de empresários, políticos e autoridades dos dois países.