Argentina condena brasileiro por mentir

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 17:43, por: cdb

O brasileiro Wilson dos Santos foi condenado nesta terça-feira, a seis anos de prisão por falso testemunho na investigação do atentado terrorista de 1994 contra a associação mutualista judaica Amia, em Buenos Aires.

A pena foi determinada por um tribunal oral de Buenos Aires, que estabeleceu que o réu fosse libertado, pois permaneceu mais de três anos detido até ser julgado, informaram fontes judiciais.

Wilson dos Santos afirmou à Justiça ter avisado às autoridades que seria cometido um atentado contra a Associação Mutualista Israelita Argentina (Amia), mas se desdisse em interrogatórios posteriores.

Ao exercer o direito de falar perante os juízes, o acusado reiterou que não esperava “nenhum atentado” e que suas declarações se deveram ao fato de que “estava escrevendo um livro”.

Ele também pediu aos juízes que, se fosse condenado, pudesse cumprir a pena numa prisão brasileira.

A Procuradoria havia pedido uma pena de dez anos de prisão para o brasileiro, a maior prevista pelo delito de falso testemunho.

Dos Santos havia declarado ao juiz de Buenos Aires Juan José Galeano que avisara ao consulado argentino em Milão (Itália) que o atentado contra a Amia, cometido no dia 18 de julho de 1994 e que deixou 85 mortos, estava sendo preparado.

No entanto, ele se desdisse quando foi interrogado novamente pelo juiz, encarregado da investigação do atentado, atribuído a grupos fundamentalistas islâmicos.

O brasileiro foi detido na Suíça devido a um pedido de captura e extradição feito pelo juiz Galeano.