Árabes querem a paz proibindo armas de destruição em massa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de abril de 2003 as 17:05, por: cdb

O embaixador da Síria na ONU, Mikhail Wehbe, anunciou que os países árabes querem a aprovação de uma resolução no Conselho de Segurança (CS) da entidade para proibir a existência de armas de destruição em massa no Oriente Médio, e promover a paz e a segurança na região.

Rússia, China e Paquistão apóiam a idéia, em princípio. O diplomata sírio pediu aos Estados Unidos que também apóiem a medida. Diversos membros do CS disseram-se curiosos para apreciar o texto proposto pela Síria.

A mobilização tem como alvo Israel, país acusado pelos árabes de instigar as ameaças norte-americanas contra a Síria. O Estado judeu nega-se a desmentir ou confirmar a posse de armas nucleares, mas a crença generalizada é de que o país as tenha.

Wehbe disse ter planos de apresentar o rascunho da resolução ao CS da ONU ainda nesta quarta-feira, em nome dos países árabes. Atualmente, a Síria é o único país árabe com assento no Conselho de Segurança da ONU.

O conselho de ministros da Liga Árabe decidiu em 24 de março ir em busca de uma resolução do CS para declarar o Oriente Médio “livre de absolutamente todos os tipos de armas de destruição em massa, sem nenhuma exceção”, disse o embaixador Yahya Mahmassani, representante da entidade na ONU.

Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores da Síria, Farouk al-Sharaa, afirmou que seu país está preparado para assinar um tratado no âmbito da ONU para banir armas de destruição em massa (nucleares, químicas e biológicas) no Oriente Médio.