Apple levanta US$1,38 bilhão em bônus em Taiwan

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de junho de 2016 as 14:24, por: cdb

A Apple se une a uma série de nomes globais que participaram da venda de bilhões de dólares em bônus no movimentado mercado de dívida taiwanês

Por Redação, com Reuters – de Taipei:

A Apple levantou US$ 1,38 bilhão em sua primeira venda de bônus em Taiwan, quase 40 % a mais do que inicialmente esperado em uma ilha que abriga a vasta cadeia de fornecimento da empresa de tecnologia dos Estados Unidos.

O bônus de 30 anos será listado em 22 de junho, disse nesta quarta-feira a Taipei Exchange, mercado de balcão de ativos da ilha.

O bônus de 30 anos será listado em 22 de junho, disse nesta quarta-feira a Taipei Exchange, mercado de balcão de ativos da ilha
O bônus de 30 anos será listado em 22 de junho, disse nesta quarta-feira a Taipei Exchange, mercado de balcão de ativos da ilha

O título, resgatável após o segundo ano, é o primeiro da Apple em Taiwan, lar da maior parte da cadeia de fornecimento de hardware que inclui a fabricante de chips sob contrato Taiwan Semiconductor Manufacturing e a empresa que monta o iPhone Foxconn, formalmente conhecida como Hon Hai Precision Industry.

A Apple precificou o bônus com um rendimento de 4,15 %, disseram fontes próximas do tema à agência inglesa de notícias Reuters na terça-feira. O rendimento ficou abaixo da faixa indicativa de 4,2% a 4,3 % devido à forte demanda, de acordo com participantes do mercado.

A Apple se une a uma série de nomes globais que participaram da venda de bilhões de dólares em bônus no movimentado mercado de dívida taiwanês. O maior bônus norte-americano em dólares vendido até o momento foi o da AT&T, a US$ 2,62 bilhões no início do ano passado.

Google

O Google vai inaugurar na próxima segunda-feira o Campus São Paulo, espaço da gigante de tecnologia para fomentar o empreendedorismo na capital paulista, disse a empresa, na terça-feira.

O prédio, localizado no bairro do Paraíso, contará com escritórios para “coworking”, voltado para startups. As primeiras empresas iniciantes a ocupar o espaço serão selecionadas por meio de um programa do Google e poderão utilizar os recursos do campus sem custos durante seis meses.

O Campus abrigará também espaços de convivência entre os empreendedores, palestras e oficinas e cursos de especialização.

– Estamos abrindo um campus em São Paulo porque a cidade possui uma comunidade startup jovem e próspera, tem a presença de um escritório do Google para oferecer apoio e mentoria, e também por acreditarmos que startups baseadas aqui podem ter um alcance global e gerar desenvolvimento econômico para todo o país e para a América Latina – afirmou o Google em comunicado.

O Google opera campi para empreendores em Londres, Tel Aviv, Seul, Madri e Vasóvia, com 70 mil membros registrados.