Aposentada que baleou ladrão no Rio é homenageada com medalha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de outubro de 2006 as 15:57, por: cdb

A aposentada que baleou em um ladrão na mão que tentou assaltá-la com uma faca no Flamengo, na Zona Sul, no Rio de Janeiro, a poucos metros de sua casa, no último dia 9, Maria Dora Arbex, de 67 anos, foi homenageada nesta segunda-feira, em solenidade na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. A aposentada foi condecorada com a medalha Pedro Ernesto.

Com uma série de declarações polêmicas, Dona Dora sustentou que mataria o bandido, se fosse necessário.

– Não atirei para matar, mas se ele insistisse, matava, sim. Sou contra tirar a vida. Mas se for a minha vida ou a dele, é a minha -, disse a enfermeira aposentada que, garante, é acostumada a lidar com psicopatas desde que trabalhou em hospital psiquiátrico e, por isso, não teve medo.

– Ocuparam os morros, agora tomaram as calçadas. Daqui a pouco a gente vai ter que pagar pedágio para passar na calçada da sua casa. Se o prefeito não limpa a cidade, eu vou limpar nem que seja com balde d’água -, discursou a aposentada que fez ainda fez uma dedicatória.
Dona Dora, chamou de hipócrita a lei do desarmamento e defendeu-se dizendo que não nasceu para ser vítima.

– Sempre falei para os meus filhos: se der para reagir e matar, você mata. Não quero cadáver aqui -, disse ela, que sugeriu o treinamento de Krav-Magá, luta israelense de defesa pessoal, à população.

A mesa de homenagens, presidida pelo vereador Carlos Bolsonaro (PFL), era composta por um coronel de Polícia Militar, uma promotora de justiça, além dos deputados federal e estadual, Jair e Flávio Bolsonaro.

A indicação da homenagem à Dona Dora foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores, na última terça-feira.