Após escândalo, Volkswagen busca melhorar posição financeira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de outubro de 2015 as 10:32, por: cdb

Por Redação, com Reuters e ABr – de Berlim:

A Volkswagen está buscando formas de cortar custos e impulsionar o fluxo de caixa, podendo vender mais ações se o preço para se livrar de um escândalo sobre a fraude de testes de emissões de poluentes colocar sua classificação de crédito em risco.

O Conselho de Supervisão da montadora alemã discutiu formas de fortalecer sua posição financeira, mas não falou sobre a venda de ativos ou marcas, disseram duas fontes próximas do Conselho à Reuters.

Volkswagen
A agência Moody’s cortou na semana passada a perspectiva da dívida da Volkswagen para negativa

Uma fonte disse que levantar recursos pela venda de mais ações se tornaria uma probabilidade se os custos de caixa do escândalo excederem um “nível crítico”, sem dar mais detalhes. A Volkswagen não quis comentar.

A maior montadora da Europa admitiu ter fraudado testes de emissão de poluentes de motores a diesel nos Estados Unidos e o ministro dos Transportes da Alemanha disse que também houve manipulação na Europa, onde a Volkswagen vende cerca de 40% de seus veículos.

A companhia separou 6,5 bilhões de euros para ajudar a cobrir os custos do escândalo, mas alguns analistas acham que a conta final pode ser muito mais alta.

As fontes afirmaram que o Conselho está preocupado com a possibilidade de que, sem fortalecer sua posição financeira, as classificações de crédito da empresa sejam rebaixadas, o que levaria a maiores custos de empréstimos.

A agência de classificação Moody’s cortou na semana passada a perspectiva da dívida da Volkswagen para negativa, enquanto a rival Fitch disse esperar que o escândalo afete todo o setor automotivo.

Fraude na Inglaterra

A subsidiária britânica do grupo Volkswagen anunciou no dia 30 de setembro que vai chamar às suas oficinas 1,1 milhão de carros para corrigir o sistema de manipulação dos testes de emissões de gases poluentes, após a empresa ter admitido fraude.

“O grupo Volkswagen UK anuncia um plano de ação para corrigir as emissões de gases de determinados veículos a diesel”, diz o comunicado, acrescentando que estão envolvidos mais de meio milhão de veículos da marca Volkswagen, quase 400 mil da marca Audi e cerca de 80 mil carros da linha comercial da Volkswagen.

Na semana passada, a empresa admitiu que 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo estão equipados com o software que adultera os resultados de emissão de gases poluentes durante testes, mas automaticamente desliga quando os testes terminam.

O escândalo manchou o nome da montadora alemã levando a uma desvalorização das ações da empresa, além da troca no comando a Volkswagen.