Apoios são principal estratégia do PT no 2º turno

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de outubro de 2004 as 19:13, por: cdb

A Comissão Executiva Nacional do PT discutiu, na manhã de hoje, estratégias de campanha para o segundo turno com candidatos petistas que permanecem na disputa eleitoral.

Ficou decidido que, nas cidades em que o PT não estiver disputando o segundo turno, irá apoiar candidatos de partidos da base aliada do governo Lula. Nos locais onde o PT disputa o segundo turno, buscará o apoio desses mesmos aliados e, em alguns casos, procurará apoios pontuais de outros partidos. As informações são do site do PT na internet.

Também ficou estabelecido que, além das 24 cidades em que o PT disputará o segundo turno, outras quatro terão prioridade: Maceió, Natal, Manaus e São José do Rio Preto.

Em Maceió, o candidato a vice é do PT, e a cabeça de chapa é do PSB, que disputará contra o PDT. Em Natal, o PT apoiará o PSB, que disputará com o PSDB. Em Manaus, o partido também apoiará o PSB contra o PSDB. E, finalmente, em São José do Rio Preto, o PT apoiará o PPS contra o PFL.

Segundo o presidente nacional do PT, José Genoino, as 28 cidades receberão todo o apoio necessário da direção nacional para vencerem a disputa. A Executiva definiu nomes que acompanharão a campanha nas cidades.

Ele citou ainda Mauá, Diadema e Santo André, no ABC paulista, onde a disputa será tratada “como se (as cidades) fossem capitais”, com a presença de lideranças petistas e a realização de grandes comícios.

Genoino considerou a reunião da Executiva com os candidatos “muito boa”, mas sem o clima de já ganhou. “O clima foi de temos muito trabalho”, afirmou. Dos 24 candidatos que irão ao segundo turno, 14 estavam presentes na reunião.

Entre os candidatos das capitais, apenas Marta Suplicy (São Paulo) não compareceu, uma vez que estava reunida com integrantes do comitê executivo da organização Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU). Mas o presidente do diretório municipal de São Paulo, Ítalo Cardoso, representou-a.

Genoino afirmou que, por não ser um partido sectário, o PT aceitará o apoio (ou apoiará) do PSDB em locais pontuais, como em Nova Iguaçu e Niterói, no Rio de Janeiro. Segundo ele, o partido está examinando a situação em Teresina.

Sobre a disputa em São Paulo, Genoino reiterou que o PT quer o apoio de todos os eleitores dos candidatos derrotados no 1.º turno. Ele ressaltou que acha importante que a candidata Luiz Erundina (PSB) declare seu voto à petista neste segundo turno. O PSB anunciou apoio ao PT em São Paulo, mas Erundina disse que se manterá neutra.

– Não acredito em neutralidade – rebateu Genoino em entrevista coletiva após o término da reunião da Executiva – Há uma disputa radicalizada em São Paulo, com duas candidaturas radicalmente opostas. Portanto, não acho possível haver neutralidade.

O apoio do presidente Lula neste segundo turno, afirma Genoino, será muito bem-vindo. Ele acredita que o presidente deverá manifestar sua preferência de voto, sem participar de atividades de campanha, como fez na campanha para o primeiro turno.

Lista de presença Alexandre César (Cuiabá), Ana Júlia (Belém), Pedro Wilson (Goiânia), Raul Pont (Porto Alegre), Roberto Sobrinho (Porto Velho), Luizianne Lins (Fortaleza), Emídio de Souza (Osasco), Fernando Marroni (Pelotas), João Ivo Caleffe (Maringá), Márcio Chaves (Mauá), Marília Campos (Contagem), Nedson Micheleti (Londrina), Péricles Mello (Ponta Grossa) e Rubens Ottoni (Anápolis).