Anúncio da prisão de suspeitos do assassinato de Celso Daniel foi precipitado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de janeiro de 2002 as 00:49, por: cdb

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Saulo de Castro Abreu Filho, precipitou-se ao informar que dois suspeitos do seqüestro e assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), foram presos em Poços de Caldas (MG), nesta quarta-feira. A polícia mineira informou que os policiais do Deic (Departamento de Investigações do Crime Organizado) realmente chegaram a investigar uma denúncia em Minas. Porém, na cidade de Monte Sião, e de apenas um suspeito e não dois como foi divulgado pelo secretário.

O causador do mal-entendido chama-se Fábio Bernardes. Segundo o tenente Odair de Freitas, do pelotão da Polícia Militar de Monte Sião, por volta das 8h da manhã desta quarta-feira, um homem, apresentando sinais de embriaguez, passou em frente ao pelotão gritando que sabia quem estaria envolvido no seqüestro e morte do prefeito Celso Daniel, pois era de Santo André e conhecia os integrantes da suposta quadrilha. “Apreendemos o suspeito e comunicamos à polícia de São Paulo, que chegou a Monte Sião por volta das 15h e deu início a interrogatório. Porém, chegaram à conclusão de que o rapaz não tinha nada a ver com o caso”, disse.

Fábio ainda foi encaminhado para a delegacia da cidade, onde foi interrogado mais uma vez pelo delegado Artur Augusto Ribeiro. “Ele está aqui até agora por causa da confusão que aprontou. Mas deve ser liberado ainda hoje. Para se ter uma idéia, nem de Santo André ele é, e apenas morou lá por dois anos”, informou.

Conforme Fábio, a bebida teria sido a principal causadora da confusão. “Ontem à noite bebi mais do que devia. Até imaginei que poderia ganhar aquela recompensa de R$ 50 mil, dizendo que conhecia os envolvidos no crime. Isso é que dá tomar todas”, revelou.