Anunciadas concessões de aeroportos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de junho de 2011 as 08:50, por: cdb

Saudamos a presidenta Dilma Rousseff por sua iniciativa de propor um modelo de concessão a aeroportos. O assunto está sendo tratado à altura da sua importância. O objetivo do planalto é acelerar o ritmo das ampliações e reformas necessárias para atender o aumento de demanda devido ao crescimento econômico, à Copa do Mundo de 2014 e às Olímpiadas de 2016.

Os primeiros aeroportos a serem submetidos ao novo regime serão Guarulhos, Brasília e Viracopos. Os seguintes na lista são Galeão e Confins. Em resumo, o governo federal vai repassar a “gestão, a operação e as reformas” nessas unidades. A concessão se dará por meio de uma parceria entre a INFRAERO e o setor privado.Segundo os últimos estudos, a INFRAERO deterá até 49% do capital das futuras Sociedades de Propósito Específico (SPE), enquanto o setor privado ficará com até 51%.

Os jornais informam que a chefe de governo quer a INFRAERO em cada aeroporto, ainda que em posição minoritária. Sua intenção é que a estatal seja um “instrumento para abastecer o Estado com informações seguras” sobre os números do negócio. A previsão da Secretaria de Aviação é que as regras do novo modelo sejam anunciadas no segundo semestre.

R$ 7 bi para obras de mobilidade

Antes do anúncio, a presidenta Dilma Rousseff se reuniu com os governadores e prefeitos de Estados e capitais que sediarão jogos da Copa do Mundo. A reunião foi chamada para dar maior transparência sobre os cronogramas das obras da Copa e deverá ser repetida a cada três meses. Mas também teve uma cobrança: aos ouvintes, a chefe de governo pediu maior celeridade nas obras de mobilidade urbana, para as quais o governo federal já reservou cerca de R$ 7 bilhões.

Segundo o jornal Valor, Márcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte (PSB), a expectativa é de que até 2014 todas as 50 obras de mobilidade urbana previstas estejam concluídas. Vamos acompanhar, agora, como a iniciativa privada reage às oportunidades criadas pelas novas regras.