ANTIBIÓTICOS – Superbactéria está ligada ao uso descontrolado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de junho de 2011 as 21:50, por: cdb

(BR Press) – A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, a cada ano, surjam no mundo cerca de 440 casos de tuberculose resistente, e 150 mil mortes por falta de resposta ao tratamento. O uso sem controle de antibióticos, no mundo inteiro, vem produzindo bactérias resistentes até mesmo aos mais potentes medicamentos. As infecções por bactérias superresistentes deixam as pessoas doentes por mais tempo, aumentando o risco de morte.

No Brasil, o caso mais recente de contaminação por superbactérias foi em outubro de 2010, quando a bactéria KPC colocou em alerta organizações de saúde e levou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a determinar que a venda de antibióticos só poderia ser feita mediante receita médica, em duas vias.

Automedicação

Desenvolvidos a partir de fungos, bactérias ou elementos sintéticos produzidos em laboratórios farmacêuticos, os antibióticos são medicamentos que combatem micro-organismos causadores de infecções no organismo. Prescrever antibiótico errado, sem indicação para a doença ou se automedicar, são uns dos motivos apontados pela OMS para aumento de casos de superbactérias.

“As bactérias multirresistentes são responsáveis pela grande parte das infecções relacionadas à assistência à saúde, tanto nos ambientes hospitalares quanto nos atendimentos domiciliares, chamados também de home care”, explica a infectologista Patrícia Pinheiro, que atua no Serviço de Infectologia do Hospital Universitário Antônio Pedro, da Universidade Federal Fluminense (RJ).

Segundo Patrícia, uma das medidas importantes para diminuir a disseminação das superbactérias é o uso controlado de antibióticos. “Quanto menos usar, melhor. Um exemplo de uso inadequado é para o combate de doenças virais, como as do sistema respiratório”, ressalta.

Para o médico Hélio Arthur Bacha, do departamento de infectologia da Associação Paulista de Medicina (APM), que promove palestra nesta quarta-feira (25/05)para discutir a indicação de antibióticos na prática médica diária, como a capacidade bacteriana para resistir aos antibióticos é mais ágil do que a capacidade humana para desenvolver novos fármacos, “é importante saber utilizar os recursos existentes, sempre com indicação precisa”.

Dosagem

Outro problema causado pelo uso abusivo de antibióticos são as doses em excesso, que geralmente acontece quando a pessoa se automedica, podendo levar a intoxicações. O antibiótico pode chegar a comprometer os rins, o fígado e até mesmo causar convulsões.Dados da Secretaria de Saúde de São Paulo revelam que, em 2010, 406 crianças no Estado foram internadas por ingestão de medicamentos. Dessas, 11,08% tinham como causa os antibióticos. Por isso, em qualquer infecção, a avaliação médica é fundamental. Só um especialista pode dizer o tipo e por quanto tempo o antibiótico deverá ser utilizado.

(Danielli Marinho/Especial para BR Press, com informações da Acontece Comunicação e Notícias)