Aniversário de Israel é marcado por atentados e mortes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de maio de 2003 as 16:04, por: cdb

Um bebê de um ano e meio morreu depois de ter sido atingido na cabeça por tiros de soldados israelenses na cidade de Khan Younis, na Faixa de Gaza, segundo informaram médicos palestinos.

O bebê estava em casa quando foi atingido. Segundo as Forças Armadas de Israel, soldados atiraram contra o prédio em resposta a tiros que teriam vindo do local.

Próximo a Nablus, na Cisjordânia, um comandante do Hamas (grupo militante palestino) morreu por causa de uma explosão ocorrida no prédio em que ele se escondia de militares israelenses. Testemunhas afirmam que a explosão ocorreu depois que soldados de Israel lançaram um projétil contra o prédio.

As duas mortes aconteceram no dia em que Israel comemora seu 55º aniversário de sua criação. As fronteiras com os territórios palestinos foram fechadas por causa da data.

Versões divergentes

De acordo com os moradores do vilarejo de Zawata, próximo a Nablus, um projétil israelense atingiu o prédio onde Amin Menzalawi, um dos comandantes do Hamas, estava se escondendo.

O Exército de Israel diz que o palestino morreu por causa de um acidente enquanto preparava explosivos. Bombeiros palestinos também teriam dito que a explosão provavelmente ocorreu dentro do prédio.

No caso do bebê atingido por tiros, sua mãe disse que estava em frente à casa no campo de refugiados de Khan Younis quando ouviu seu filho chorando. Quando foi acudi-lo, viu que estava coberto de sangue. O bebê acabou morrendo no hospital.

James Rodgers, correspondente da BBC no local, informa que o campo de Khan Younis fica próximo a um bloco de assentamentos judaicos, onde há troca de tiros constante entre combatentes palestinos e soldados israelenses que guardam a região. O Exército israelense disse que o incidente foi “infeliz”.

Independência

As comemorações da criação do Estado israelense perderam parte do seu brilho por causa de recentes atentados de palestinos.

Um colono judeu foi morto por pistoleiros próximo a Ramallah (Cisjordânia) na última segunda-feira (5) à noite em um ataque reivindicado pelas Brigadas de Mártires Al-Aqsa.

Sua filha de seis anos e um soldado israelense também ficaram feridos no ataque.

Morteiros caíram entre a noite da última-terça (6) e a manhã desta quarta-feira na Faixa de Gaza. Três deles atingiram o assentamento judaico de Neve Dekalim. Ninguém se feriu, mas as comemorações no assentamento foram canceladas.

As festividades israelenses começaram na noite da última terça-feira (6) com um concerto e devem continuar até a noite desta quarta-feira (hora local), quando o presidente Moshe Katsav e o premiê Ariel Sharon devem participar de uma cerimônia no Teatro de Jerusalém.

Os soldados israelenses receberão homenagens durante todo o dia, com menção especial para os veteranos da guerra de 1948, que resultou na independência de Israel.

Correspondentes dizem que as comemorações deste ano estão menores do que no ano passado também em parte por causa da crise econômica no país.