Aníbal Diniz repudia ataques ao governo federal 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 30 de maio de 2011 as 16:40, por: cdb

Em pronunciamento nesta segunda-feira (30), o senador Anibal Diniz (PT-AC) manifestou sua confiança na presidente Dilma Rousseff e protestou contra os opositores que criticam seu governo “numa mesma cantilena, numa mesma tonalidade, numa única forma de agressão e de ataque”.

– Os resultados do governo da presidente Dilma não têm deixado dúvida de que ela está absolutamente comprometida com a melhoria do Brasil e absolutamente comprometida com a continuidade de tudo aquilo que foi iniciado pelo presidente Lula e com muito sucesso – afirmou.

Em referência aos questionamentos sobre o enriquecimento do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, o senador assegurou que o governo “está em boas mãos, em mãos de pessoas responsáveis, pessoas que têm total preocupação em fazer o melhor para o país”.

Voto com alternância de gêneros

O senador registrou sua presença no Paraná, seu estado natal, no último fim de semana, onde participou de debate na Assembléia Legislativa promovido pela Comissão de Reforma Política da Câmara dos Deputados em associação com a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. Entre os temas debatidos, Aníbal Diniz voltou a defender o projeto de lei do senador Humberto Costa (PT-PE) que estabelece o voto em lista com alternância de gêneros (50% de mulheres). O parlamentar admitiu que se trata de “uma tese difícil de ser aprovada”, mas assegurou que a bancada do PT apoiará a proposta.

– Nossa representação, hoje, não é condizente com os 51% de mulheres da sociedade brasileira. Nós temos apenas 13% [de mulheres] no Senado e 9% na Câmara – lamentou o senador.

Em sua opinião, esse percentual pode ser elevado e a forma mais eficiente de garantir que isso aconteça é a aprovação do voto em lista com alternância de gênero.

Plano Agrícola

Concluindo seu pronunciamento, Aníbal Diniz anunciou o aumento de investimentos no Plano Agrícola e Pecuário do governo federal. O plano, a ser lançado em junho, terá uma verba de R$ 107 milhões, contra R$ 100 milhões do ano passado, e terá estímulo para a produção voltada ao mercado interno.

Da Redação / Agência Senado