Anderson Silva lidera festa de nocautes animada pela torcida mais incrível do mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 28 de agosto de 2011 as 15:06, por: cdb
torcida
Os campeões do UFC foram ovacionados pela torcida na arena HSBC

A torcida que lotou o ginásio HSBC Arena, no Rio de Janeiro, onde foi realizado o UFC 134, foi um espetáculo à parte na noite em que o campeão peso-médio (84 kg) do evento Anderson Silva comandou a festa brasileira repleta de nocautes. No último enfrentamento, quase na madrugada deste domingo, o Spider estudou o seu oponente no primeiro assalto tentando induzir o japonês Yushin Okami ao erro. E, para delírio dos fãs, a chance chegou nos segundos finais da primeira etapa. Um chute alto atordoou Okami, que foi salvo pelo gongo.

No segundo round, porém, o barco do japonês naufragou. Animado com os gritos da torcida, o Spider voltou com tudo e, sem se deixar ser encostado, levou o rival a knockdown em duas oportunidades, obrigando o juiz a decretar a vitória em sua nona defesa seguida do Cinturão Mundial na categoria peso-médio.

Okami, desmaiado no octógono, lembrou outros dois atletas que haviam acabado de passar por ali: Forrest Griffin e Brendan Schaub. Ex-campeão dos meio-pesados (93 kg), Griffin, que afirmou ter encontrado dificuldades na adaptação ao clima brasileiro, não encontrou Maurício “Shogun” no ringue e também acordou estirado no tablado sem saber o que havia acontecido. Após uma sequência de golpes em pé, o brasileiro liquidou a fatura com potentes “marretadas” no chão, deixando os 16 mil presentes em estado de êxtase.

Mas, sem dúvida, o duelo que mais emocionou os fãs foi a vitória de Rodrigo “Minotauro” sobre o promissor Brendan Schaub. Surpreendendo a  todos, o baiano buscou a luta em pé e anotou o seu terceiro nocaute na carreira, que já conta com 40 apresentações. Ao pegar o microfone, sem esconder a emoção, Minota bradou para quem quisesse ouvir nas arquibancadas.

– Vim de três cirurgias, muito tempo parado e treinei apenas por quatro meses. Vim aqui por vocês – disse.

Banha no chão

Com 14 representantes brasileiros nas 12 lutas da noite, eram esperadas 11 vitórias nacionais, uma vez que três disputas envolviam dois compatriotas tupiniquins.

Com um aproveitamento incrível, a plateia pôde vibrar em dez ocasiões, deixando a comemoração de lado apenas quando Luiz “Banha” Cané foi nocauteado pelo estreante búlgaro Stanislav Nedkov. Sentindo o peso da mão do europeu, Banha tentou caminhar no octógono e, aos poucos, minar o rival. Infelizmente, sua estratégia não surtiu efeito e ele foi nocauteado no final do primeiro round com uma forte sequência de golpes.

Em uma surpresa para os organizadores do evento, coube aos fãs do esporte um lugar de destaque nas transmissões, ao desenvolverem uma “ola” ao redor do ringue, a primeira na história de um evento de MMA. Alguns torcedores levarem a audiência ao riso ao apelidar o lutador Yves Jabouin de Negueba, jogador do Flamengo. A festa foi tamanha que o presidente do evento, Dana White, disse aos jornalistas, após os combates, que a experiência no Rio foi única.

– Há dez anos realizo eventos no mundo todo. Este no Brasil com certeza ganhou pela torcida mais barulhenta de todas. Coisa fantástica, tudo lotado desde a primeira luta do card – afirmou.

Comments are closed.