Anatel gastará quase R$ 12 milhões com auditorias em 2002

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de outubro de 2001 as 19:03, por: cdb

A Anatel – Agência Nacional de Telecomunciações – vai gastar R$ 11.344 milhões para confirmar se as concessionárias de telefonia fixa anteciparam as metas de universalização de 2003 para 2002 e estão habilitadas a participar da abertura do mercado no ano que vem.

Além de desembolsar uma soma em torno de R$ 3,586 milhões com a contratação da empresa Moreira e Associados Auditores – que ficará encarregada de fazer a auditagem da antecipação das metas de universalização da Embratel – a Anatel gastará ainda mais R$ 7,758 milhões com a contratação de três outras consultorias, que irão realizar o mesmo serviço nas áreas da Telemar (Região I), Brasil Telecom (Região II) e Telefonica (Região III).

Na área da Telemar, por exemplo, a agência reguladora já contratou a empresa HLB Audilink Auditores e Consultores, assinando um contrato no valor total de R$ 1,988 milhão para a prestação dos serviços de auditoria, enquanto na área 2, da Brasil Telecom, Sercomtel e CTBC, os serviços de consultoria a serem contratados serão os mais caros entre as contratações a serem feitas pela Anatel.

No caso, a consultoria escolhida e contratada foi a Ernst e Young Auditores Independentes, que receberá R$ 4,075 milhões pela prestação dos serviços. Coincidência ou não, uma das operadoras da área, a Brasil Telecom, já anunciou que não pretende antecipar metas para concorrer à abertura do mercado, pelo menos no início do ano que vem.

Já na área 3, a região de atuação da espanhola Telefônica e CTBC Borda do Campo, a Anatel escolheu a auditoria da Boucinhas e Campos S/C, com um contrato no valor de R$ 1,695 milhão.