Analistas preveem mais inflação e reduzem crescimento do PIB

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 as 11:16, por: cdb
Banco central destacou que atividade econômica tem decepcionado
Banco central destacou que atividade econômica tem decepcionado

O mercado elevou a expectativa para a inflação e reduziu novamente a do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, depois de o Banco Central indicar que a Selic permanecerá estável pelos próximos meses. Desde o final de 2012 a inflação vinha dando sinais de força. Com isso, os analistas consultados no Focus agora estimam o IPCA em 2013 em 5,65%, ante 5,53%  na projeção anterior, na terceira semana seguida de revisão para cima. Para 2014, a projeção foi mantida em 5,50%.

No comunicado na semana passada que acompanhou o anúncio da decisão do BC de manter a Selic na mínima histórica de 7,25%  ao ano, o banco afirmou que os riscos de inflação pioraram no curto prazo. O BC ressaltou, no entanto, que a atividade econômica também tem decepcionado, sinalizando que a taxa básica de juros do país não deverá mudar pelos próximos meses.

Entretanto, nesta segunda-feira o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) voltou a indicar desaceleração dos preços no atacado ao avançar 0,34%  na segunda prévia de janeiro, ante alta de 0,69% no mesmo período de dezembro.

Crescimento

No Focus desta segunda-feira, os analistas voltaram a reduzir a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto em 2013 também pela terceira vez, embora ligeiramente, a 3,19%, ante 3,20%  na semana anterior. Para 2014 a perspectiva é de uma leve aceleração a 3,60%, projeção inalterada ante o dado anterior.

Com o Copom afirmando novamente que a estratégia de manter a “estabilidade das condições monetárias” por mais tempo é a mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta de 4,5%  pelo IPCA, com margem de tolerância de 2%  para mais ou menos, os analistas consultados mantiveram a expectativa de Selic a 7,25%  no final deste ano.

Para 2014, entretanto, a projeção é de elevação da taxa básica de juros a 8,25%, a mesma expectativa da semana anterior. O mercado também elevou ligeiramente, de acordo com o Focus, a previsão para o dólar para o fim deste ano. A expectativa é que a cotação fique em R$2,08, ante R$2,07  anteriormemte. Para 2014, a projeção foi elevada a R$2,09, ante em R$2,05.