Analistas financeiros reduzem estimativas de inflação para 2007

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 30 de abril de 2007 as 15:29, por: cdb

Pela quarta semana seguida, os analistas de instituições financeiras ouvidos na pesquisa Boletim Focus, do Banco Central (BC), reduziram a previsão para a inflação em 2007. Segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado pelo governo para medir a inflação oficial, deve errar o ano em 3,69%. Isso representa 0,09 ponto percentual a menos que a previsão da semana passada, quando a projeção era de 3,78%.

A estimativa continua menor que a meta de inflação, que é de 4,5% em 2007, com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Para 2008, os analistas apostam em IPCA de 4%, valor que se mantém pela 11ª semana consecutiva.

Feito com base em projeções de 100 instituições financeiras ouvidas semanalmente, o Boletim Focus também registrou queda em outros indicadores de inflação.

De acordo com os analistas, o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), deve fechar 2007 em 3,64%, menos que os 3,68% estimados na semana passada. Para o Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M), também da FGV, a projeção caiu de 3,82% para 3,73%.

Somente a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou leve alta. A projeção aumentou de 3,54% para 3,57% entre uma semana e outra.

O comportamento da inflação é levado em conta pelo BC para determinar a Selic, a taxa básica de juros da economia, atualmente em 12,5% ao ano. Pela segunda semana seguida, os analistas apostaram que a Selic encerrará 2007 em 11,25% ao ano. A projeção da taxa para o final de 2008 ficou em 10% ao ano, 0,5 ponto percentual a menos que a pesquisa anterior.