AMMA PARTICIPA DE EVENTO QUE TRATA A DESTINAÇÃO DO ÓLEO LUBRIFICANTE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 08:51, por: cdb

19/04/2012 | 11:47

AMMA PARTICIPA DE EVENTO QUE TRATA A DESTINAÇÃO DO ÓLEO LUBRIFICANTE

O evento, que acontece na Federação da Indústria do Estado do Pará (Fiepa), visa a capacitar técnicos dos órgãos ambientais que lidam com licenciamento e fiscalização do setor de óleos lubrificantes

Uma equipe de técnicos da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) participa da 12° Mini Oficina de Capacitação para a aplicação da Resolução 362/2005, do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que trata da destinação de óleos lubrificantes usados e/ou contaminados. O evento acontece durante todo o dia de hoje, 19, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Pará em Belém.
A mini oficina é promovida pela Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma) – órgão em que a Amma é associada -, em parceria com o Mistério do Meio Ambiente (MMA) e a Associação Brasileira de Órgãos Estaduais de Meio Ambiente (Abema), além da participação de representantes do setor privado e da sociedade civil organizada, representada pela Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Cianorte (Apromac).
Participam do evento técnicos de órgãos ambientais dos municípios e do Estado do Pará, que irão discutir a implementação da Resolução na Região Norte. A proposta prevê que fabricantes, distribuidores e geradores de óleos lubrificantes utilizados em motores de veículos, máquinas e equipamentos, além de embarcações que é rotineiramente utilizado na região, sejam responsáveis pela destinação correta do material.

“Para que não haja dúvidas em relação ao descarte correto desse material, a solução proposta pela Resolução é o rerrefino – reciclagem do óleo”, alerta Celma Alves, técnica ambiental da Amma e consultora da Anamma.
Os técnicos da Amma compartilham no evento as experiências de Goiânia com os órgãos ambientais de outros municípios. “Pois sãos eles os responsáveis pelo licenciamento das atividades geradoras de óleos lubrificantes, bem como da fiscalização e da implementação das ações que norteiam a destinação regular desse produto que altamente contaminante e perigoso para saúde humana”, Celma explica ainda que um litro do óleo lubrificante usado é capaz de contaminar um milhão de litros de água.
De acordo com pesquisas realizadas pelo o setor, por ano, cerca de 240 milhões de litros de óleos lubrificantes são usados em milhares de postos de serviços, centros de troca de óleo, oficinas, transportadoras, indústrias, portos e outras fontes geradoras do Brasil. Hoje, os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Amazonas, Bahia e Rio de Janeiro possuem rerrefinarias.Todos os outros Estados as coletoras devem realizar a coleta e encaminhar o resíduo para essas rerrefinarias. “Em Goiânia e na região metropolitana, por exemplo, existem quatro empresas que são coletoras do óleo lubrificante que direciona para uma dessas coletoras”, disse Celma Alves.
“Os órgãos de meio ambiente são responsáveis pela orientação das indústrias, no momento do licenciamento, e pelo monitoramento dessas empresas, para garantir que o material seja encaminhado aos rerrefinadores, possibilitando assim, que o produto volte ao mercado”, ressalta Celma.
Reunião SetorialJá durante a tarde de ontem, 18, o Grupo de Monitoramente Permanente (GMP), que tem como a técnica Celma Alves como representante, realizou a 5° Reunião Setorial do Setor para conhecer de perto os entraves que impossibilita o atendimento às metas estabelecidas para o recolhimento, assim como determina a Resolução do Conama 362/2005, além de definir as ações a serem implementadas pelos atores do elo que consta toda a cadeia produtiva e setor público que trata da destinação correta do produto.