América vence Botafogo por 2 a 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 5 de março de 2003 as 22:57, por: cdb

A atuação do Botafogo na derrota por 2 x 1 para o América, na noite desta quarta-feira, em Édson Passos, no complemento da 11ª rodada do Campeonato Carioca, foi um resumo da campanha do alvinegro na competição: sofrível.

Embora soubesse que poderia conseguir a classificação até com uma vitória simples (precisaria torcer para uma derrota do Americano para o Friburguense, em Campos), o time praticamente não incomodou o goleiro adversário e, com o resultado, ficou fora das semifinais da competição. Já o América terminou o campeonato na sexta posição e, com isso, deve participar da Copa do Brasil em 2004.

Pelas atuações da equipe no primeiro tempo, a impressão que ficou é que quem brigava pela vaga era o América. Diante de um Botafogo completamente desanimado, parecendo não acreditar numa derrota do Americano para o Friburguense, o Alvinegro dava a impressão de ter entrado em campo apenas para cumprir tabela.

Sem ter nada a ver com isso, o América tomou conta do jogo e criou as melhores oportunidades. Na primeira delas, aos 13min, Sérgio Manoel cobrou uma falta da intermediária, Edvaldo cabeceou para trás e Carlos Eduardo emendou de primeira, obrigando Max a fazer uma grande defesa, colocando a bola para escanteio.

O jogo, embora fraco tecnicamente, seguiu sob o domínio do América que, impulsionado pelos gritos de “Sangue” de sua pequena mas barulhenta torcida, continuou sem ser incomodado pelo Botafogo, que deu o primeiro chute a gol apenas aos 23min.

No lance seguinte, aos 25min, o Alvinegro perdeu um gol incrível. Após cruzamento da esquerda, Fábio se antecipou à jogada e, desequilibrado, tocou levemente na bola, que foi parar nas mãos do Fábio Carvalho.

De tanto tentar, o América chegou ao seu primeiro gol, aos 36min. Fernando perdeu a bola no meio de campo e Humberto lançou Edvaldo, que, já dentro da área, deu um belo chute à direita de Max.

Estranhamente, para um time que precisava fazer pelo menos dois gols, o Botafogo voltou para o segundo tempo com o meia Valdo no lugar do atacante Leandrão. O time, porém, criou a primeira chance de perigo, aos 5min, num chute de Camacho na entrada da área.

A resposta do América veio aos 9min. O lateral direito Guto entrou driblando na área e, ao tentar chutar no ângulo esquerdo de Max, acertou a rede pelo lado de fora. Os donos da casa tiveram outra grande chance aos 14min, mas Edvaldo, sozinho na pequena área, chutou para fora.

A partir dos 20min, o Botafogo passou a demonstrar algum interesse pelo jogo, mas, contando apenas com a inspiração do veterano Valdo, continuou sem criar chances concretas de gol, ameaçando apenas em bolas cruzadas e em faltas cobradas pelo jogador. Jogando no contra-ataque, o América seguiu levando perigo, principalmente com Guto pela direita.

Numa dessas jogadas, o Diabo conseguiu um escanteio e, na cobrança, chegou ao segundo gol. Sérgio Manoel bateu e Josimar, dentro da área, teve tempo de matar a bola no peito e desviar de Max.

Aos 42min, o Botafogo ainda diminuiu num pênalti cobrado por Camacho, mas o destino do clube na partida – e no campeonato – já estava selado.

AMÉRICA 2 x 1 BOTAFOGO

América
Fábio Carvalho, Guto, Alan, Carlos Eduardo e Clécio; Marcelo Cardoso Humberto, Sérgio Manoel e Camilo (Josimar); Joílson (Gullit) e Edvaldo.
Técnico: Alfredo Sampaio

Botafogo
Max, Rafael, Carlos Alberto, Gilmar e Renatinho; Túlio, Fernando Almir e camacho; Leandrão (Valdo) e Fábio
Técnico: Levir Culpi

Data: 5/3/2003 (quarta-feira)
Local: estádio Giulite Coutinho, em Édson Passos
Juiz: José Eduardo Pires de Oliveira
Cartões amarelos: Clécio, Allan, Fábio Carvalho (América); Camacho, Rafael, Carlos Alberto, Túlio (Botafogo).
Gols: Edvaldo, aos 36min do primeiro tempo; Josimar, aos 31min, e Camacho, aos 42min do segundo tempo.