Amazon apresenta plataforma de venda de artesanato

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 8 de outubro de 2015 as 12:31, por: cdb

Por Redação, com Reuters – de Chicago/Nova York, EUA:

A Amazon.com lançou nesta quinta-feira um mercado para produtos feitos à mão que vai permitir que os clientes do site comprem produtos feitos por artesãos de mais de 60 países.

– Nós não vamos permitir nenhuma manufatura de massa, nós não vamos permitir nenhum produto feito em fábricas. Todos esses produtos têm que ser feitos à mão – disse à agência inglesa de notícias Reuters o vice-presidente da Amazon Marketplace, Peter Faricy.

Mais de 600 produtos feitos à mão poderão ser escolhidos para encomenda sob o serviço premium de entrega da Amazon
Mais de 600 produtos feitos à mão poderão ser escolhidos para encomenda sob o serviço premium de entrega da Amazon

O website “Handmade at Amazon” vai competir diretamente com sites como o Etsy, que fez seu nome vendendo produtos artesanais.

Um mercado de artesanato vai ampliar o papel da Amazon como intermediária para terceiros, vendedores, que representam cerca de 40 %  das suas vendas. O site recentemente lançou uma plataforma que permite que seus consumidores comprem 700 tipos de serviços domésticos, como manutenção de carros, instalação de televisores em paredes e limpeza de residências.

Mais de 600 produtos feitos à mão poderão ser escolhidos para encomenda sob o serviço premium de entrega da Amazon.

Armazenamento em nuvem

O negócio de nuvem da Amazon.com, Amazon Web Services (AWS), lançou um serviço para ajudar companhias a analisar seus dados e um produto tipo uma pasta de documentos que permitirá o despacho de grandes quantidades de dados para armazenamento em nuvem.

A companhia disse na quarta-feira que o serviço de análise de dados, chamado QuickSight, é rápido e fácil de usar por pessoal não-técnico que queira compartilhar os dados analisados.

No momento está disponível uma prévia do produto, disse a vice-presidente sênior do AWS, Andy Jassy, em um evento em Las Vegas.

Para uma edição padrão do QuickSight, serão cobrados US$ 12 por mês do consumidor, sem compromisso de período de uso, ou US$ 9 mensais com compromisso de um ano.

Para a edição corporativa, o valor é de US$ 24 mensais sem compromisso e US$ 18 ao mês para o período de um ano.

O Snowball, produto de armazenagem que pode ser despachado, foi desenhando para permitir que companhias movam grande quantidade de dados para a nuvem do AWS sem ter que gastar muito tempo e banda para transferi-los pela Internet.

O contêiner pesa 21,3 quilos e pode conter 50 terabytes de dados.

Os usuários terão que pagar US$ 200 por trabalho, além dos encargos de transporte, com base no destino e no método de envio.

Publicações instantâneas

O Google anunciou na quarta-feira o seu programa piloto chamado Páginas Móveis Aceleradas que permite que usuários procurem por notícias e baixem artigos de forma instantânea.

Mas, ao contrário dos artigos instantâneos do Facebook e do Apple News, da Apple, as companhias não pagarão o Google para que seus artigos apareçam.

O Google, cuja controladora agora se chama Alphabet, está atualmente testando o programa. Executivos recusaram-se a dizer quando estará disponível para uso público.

O Twitter é um dos parceiros que está testando o projeto do Google e planeja ligá-lo ao seu próprio aplicativo, disse o gerente de produtos do Twitter, Michael Ducker.

O The New York Times, Vox.com, Buzzfeed e La Stampa estão entre outras companhias que estão participando do projeto-piloto.

O produto estará disponível inicialmente para as empresas de notícias, mas o Google está aberto a oferecê-lo a outros tipos de provedores de conteúdo, disse Richard Gringas, diretor do Google Notícias.