Alunos da rede estadual festejam Semana da Pátria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 1 de setembro de 2003 as 16:23, por: cdb

Mais de 1,2 mil alunos de dez escolas da rede estadual de ensino participaram nesta segunda-feira da abertura das festividades da semana da Pátria, em frente ao Palácio Iguaçu. Entre as atividades preparadas para as crianças e jovens pela Secretaria de Estado da Educação e pela Paraná Esportes, muita brincadeira, esportes e apresentações artísticas.

A diretora da Escola Estadual Elias Vidal, Lice Helena Ferreira, disse que essa iniciativa do Governo do Estado é uma oportunidade para que as escolas mostrem à comunidade tudo o que têm de bom.

– As pessoas estão acostumadas a ver só notícia ruim, como a violência. Mas nós temos muitas experiências positivas, principalmente nas artes e nos esportes, que servem como um preventivo à violência – afirmou.

Na abertura das festividades da Semana da Pátria, os alunos da Escola Elias Vidal participaram das apresentações artísticas. Na escola, mais de 50 crianças, distribuídas em três grupos de dança, têm aulas de street dance. O trabalho é voluntário e desenvolvido, há mais de um ano, pelo professor de dança Rudi Alves.

– Apresentações como esta, em praça pública, são importantes para promover a troca de culturas entre as crianças e jovens. Nós temos muito prazer em desenvolver este trabalho e em ver os nossos alunos se apresentando abertamente para a comunidade- declarou.

O Secretário da Educação, Maurício Requião, destacou que as festividades da semana da Pátria precisam ser mais próximas dos jovens.

-As nossas crianças e os nossos adolescentes precisam ter oportunidades de mostrar o que sabem fazer – afirmou.

A menina Paola Senger,11 anos, ex-aluna da Escola Estadual Elias Vidal, mas que continua participando do grupo Manah Jr., um dos grupos formados na escola, ressaltou a importância de eventos abertos ao público como forma de incentivar a formação e o desenvolvimento de trabalhos semelhantes.

– A gente vê que, apresentando o nosso trabalho, podemos influenciar outras escolas e outros jovens, envolvendo a sociedade de modo geral – explicou.

Brincadeiras

As crianças participaram de jogos, andaram de bicicleta, brincaram na cama elástica, rapel e viram de perto canhões fabricados em 1918.

– Isso tudo é muito legal. A gente pode brincar e conhecer coisas diferentes – disse William Caeso, de 13 anos e aluno da 7ª série da Escola Estadual Dom Ático.

A menina Jéssica Ribeiro de Souza, 10 anos, da 5ª séria da Escola Dom Ático, estava maravilhada com tantos brinquedos diferentes.

– Eu sempre quis ir num parque que tivesse esses brinquedos infláveis. Hoje estou brincando com muitas coisas diferentes e que eu não sabia que eram tão legais – afirmou.