Alunos da rede estadual aprendem técnicas de cinema

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 as 08:43, por: cdb

Assistir a um bom filme, comendo pipoca e bebendo refrigerante bem gelado, na primeira sala de cinema popular digital do Brasil, por menos de R$ 10, é privilégio dos estudantes da rede estadual de ensino. O cinema Ponto Cine, localizado no Guadalupe Shopping, na Zona Norte,  exibe filmes nacionais e de artes.

A proposta é democratizar o acesso ao cinema, graças a preços acessíveis e a parcerias com o governo do estado, Instituto Oi Futuro e Petrobras. O Ponto Cine, junto com a Secretaria de Educação, realiza desde o ano passado o projeto Oficine-se.

Trinta e três escolas estaduais indicam, cada uma, 33 professores e 33 alunos para aprender técnicas cinematográficas, como roteiro, direção, edição e filmagem. O objetivo é produzir seis curtas-metragem para uma exposição itinerante no Estado do Rio e criar cineclubes nas escolas. 

–  Nossa proposta é formar exibidores. Nossa meta, nos próximos cinco anos, é atingir mil escolas com mil cineclubes. Queremos provocar o audiovisual na educação desses estudantes, através da alfabetização do olhar e do comportamento. Acredito que isso seja fundamental e está vinculado à educação sob novas formas de aprendizado. É preciso fugir das quatro paredes da sala de aula. Nada melhor do que a ajuda do governo para isso – disse o diretor-executivo do Ponto Cine, Adaílton Medeiros.

Outra parceria é o projeto Salas do Interior, patrocinado pelo Instituto Oi Futuro, junto com a Secretaria de Cultura. Enquanto o governo do estado constrói salas populares de cinema em municípios do estado que não possuem espaços para exibição de filmes, através do projeto Oscarito, o Ponto Cine fica responsável por equipar as salas. 

–  Equipamos as salas com telas polifônicas e som 5.1. Além disso, instalamos poltronas rebatedoras, fabricadas especialmente para essas salas. Todo esse investimento deixa as salas  aptas a receberem o equipamento digital. Embora a idéia inicial fosse apenas equipar as salas, o Ponto Cine levou as aulas das práticas cinematográficas até o interior do estado – disse Adaílton.
Já o projeto ProSocial Cinema (Promoção Social de Cinema) é uma parceria realizada com o apoio da Petrobras, realizada no próprio Ponto Cine e se divide em três propostas. Uma é o Cinema-Escola, que leva estudantes da rede pública ao Ponto Cine para assistir a filmes durante as “sessões especiais”, “horários diferenciados” e durante o horário comercial, com ingressos são subsidiados pela Petrobras.

Outra proposta é o Cinema Para Todos, que pretende beneficiar organizações não-governamentais (ONGs). Já o Diálogos com o Cinema atende os professores da rede pública com sessões durante os sábados, seguidas de debates com diretores, atores e/ou profissionais do audiovisual.

No ano passado, o Ponto Cine foi premiado pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) como o maior exibidor de filmes nacionais em todo o Brasil. Em um ano, a sala de cinema recebeu, durante sua grade normal, cerca de 19.148 espectadores, 36 longas-metragens nacionais e 10 longas estrangeiros.