Alto-Comando

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de março de 2003 as 15:41, por: cdb

A longa duração da reunião do Alto-Comando do Exército, de terça e quinta-feiras últimas, em Brasília, com direito, inclusive, a sessão extraordinária, foi marcada por críticas aos profundos cortes feitos pela equipe econômica do Governo Lula no orçamento da força terrestre. Os generais se posicionaram contra a incorporação do novo contingente, de quase 70 mil novos recrutas, efetuada na última segunda-feira.

Motivo: o Exército recrutou os novos conscritos, que abandoram suas atividades escolares e até mesmo postos de trabalho e, a exemplo do que aconteceu no último ano do Governo Fernando Henrique, poderão ser dispensados antes mesmo do 7 de setembro, face à carência de recursos.

Ficou caracterizado que o emprego da tropa na segurança pública do Rio foi feito ao inteiro desagrado dos generais. Para citar um exemplo desse desconforto foi lembrado o fato de que os soldados da Brigada Pára-quedista tiravam 24 horas de serviço em pontos estratégicos do Estado e, após a rendição, voltavam aos quartéis para cumprir rigorosa prontidão. Enquanto isso, os PMs – soldados profissionais, responsáveis diretos pelo policiamento das cidades -, apesar do carnaval, cumpriam escala de 24 horas de serviço por 48 de folga. E mais: foi muito comentado o episódio da morte de um professor ao furar uma blitz. Ao analisarem sua repercussão, concluíram que, não fosse o depoimento corajoso da manicure que o acompanhava, a corporação teria um julgamento deturpado e negativo perante a sociedade. Lembraram os oficiais que foi um sacrifício conseguir 3 mil homens para policiar o Rio, já que os quartéis estavam esvaziados de meios e pessoal, devido à baixa antecipada no ano passado.

ALTO-COMANDO – 2
Outra preocuação vazada da reunião do Alto-Comando: equipamentos de informática, de alta tecnologia e precisão, estão sendo danificados em diversos estabelecimentos de ensino e outras unidades do Exército. Motivo: tais unidades estão impedidas de ligar os aparelhos de ar-condicionado por medida de economia.

VIROU CASACA
A deputada Núbia Cozzolino (PDT), que há semanas vinha sendo cáustica e iracunda em críticas ao Governo do Estado, passou a ser Garotinho desde garotinha. E já mandou a fatura para o Palácio Guanabara.

REINO DE DEUS
Em 1999, a Igreja Universal começou numa garagem, com reuniões às quartas e sextas-feiras, seu projeto de instalação na Namíbia. Agora, acaba de inaugurar uma megacatedral em Windhoek, a nona igreja da seita naquele país do Sudeste da África. Instalada com as bênçãos do bispo Edir Macedo.

HAJA COMISSÃO
O vereador Chico Aguiar (PSC), líder de si mesmo, para facilitar seu trabalho na Câmara, apresentou projeto alterando o Regimento Interno de maneira que possa participar das comissões permanentes, inclusive como presidente. E também das comissões de representação, especial e parlamentar de inquérito.

CORREÇÃO
Esta coluna recebeu do advogado Roberto Letelier, a quem agradece, carta corrigindo um equívoco. Na última quinta-feira, recapitulando o artigo 1.639 do novo Código Civil, saiu publicado o parágrafo 2O da seguinte forma: “É inadmíssivel alteração de regime…”, quando o correto seria “É admissível alteração de regime de bens, mediante autorização judicial em pedido motivado…”

Inadmissível, data vênia, foi o nosso erro.

Inconfidências

>> O ministro das Comunicações, Miro Teixeira, inaugura nesta segunda-feira, na Escola Municipal Profª Olga Teixeira de Oliveira, em Duque de Caxias, o projeto de inclusão digital que a Telemar apresentou ao Governo.

>> O prefeito Cesar Maia será a atração do almoço-palestra desta segunda-feira no Clube Americano. Falará sobre “Uma visão do Rio, do Estado e do País”.

>> Artigo 1.641 do novo Código Civil: “É obrigatório o regime de separação de bens no casamento: I – das pessoas que o contraírem com inobservância das causas suspensivas da celebração do casamento; II – da pessoa maior de 60 anos; III – de todos os que dependerem, para casar, de suprimento jud