Alkmin volta a negar que esteja “escondendo” Serra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de outubro de 2002 as 18:44, por: cdb

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que disputa a reeleição, voltou a negar nesta segunda-feira que esteja fazendo uma campanha desvinculada do presidenciável tucano José Serra. No retorno do programa eleitoral na TV, apenas o logotipo de Serra apareceu por alguns segundos no horário do governador.

Para o candidato do PT ao governo paulista, o deputado federal José Genoino, Alckmin “escondeu” Serra no programa eleitoral. Ao contrário de Alckmin, Genoino fez todo o programa ao lado do presidenciável do PT Luiz Inácio Lula da Silva.

“Acho que minha história de vida responde por si só, não tenho que esconder ninguém ainda mais um homem de honradez que é o candidato Serra”, afirmou Alckmin. “Mas tem o horário de presidente da República e tem o horário de governador. Eu quero ser governador de São Paulo, não andar de garupa. Então, no meu horário eu vou falar das questões relativas ao Estados de São Paulo porque é isto que está em discussão.”

Alckmin voltou a afirmar que seu apoio a Serra é público. “Estou com ele todo o dia em que ele faz campanha aqui em São Paulo. Quando ele está aqui, nós estamos juntos. Agora, no meu horário eleitoral vou dar prioridade aos temas do Estado”, disse Alckmin.

Ele evitou polemizar com Genoino e disse que é o eleitor que irá julgar se é correta ou não a estratégia de colar as imagens dos dois candidatos do PT. “Não vou fazer uma campanha falando mal do meu concorrente, minha campanha fala com o eleitor.”

Alckmin disse também que pretende participar de todos os debates televisivos que forem marcados, agora no segundo turno. Ele confirmou presença nos dois debates que serão realizados nesta semana: no da Bandeirantes, quarta-feira, e na Rede Record, na quinta-feira. “O debate é o ponto alto do processo eleitoral porque permite aos dois candidatos uma discussão mais profunda sobre os temas abordados e assim ajudam o eleitor a definir seu voto. Acho que esses debates, só com dois candidatos, serão mais dinâmicos e terão uma audiência maior”.