Alianças podem ”desmascarar” partidos políticos, diz Pio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 3 de outubro de 2004 as 23:57, por: cdb

O cientista político da Universidade de Brasília (UnB), Carlos Pio, disse que a declaração do presidente do PT, José Genuíno, de que aceitaria que Paulo Maluf subisse ao palanque da prefeita Marta Suplicy, candidata à reeleição em São Paulo “desmistifica que alguns partidos sejam defensores da moralidade e da ética”.

Segundo Pio, isso representa uma “quebra de paradigma importante para a democracia brasileira”.

O deputado distrital Augusto Carvalho (PPS) enfatizou que essa eleição confirma a tendência do eleitorado pela centro-esquerda política. “Acho uma grande vitória do povo paulistano quando Paulo Maluf (canditado pelo PP) fica fora do segundo turno”.

Carvalho acrescentou que também considera uma possível subida de Maluf no palanque petista uma “quebra de paradigma”. “Até então o PT execrava todos aqueles que faziam alianças heterodoxas, e hoje diz não negar apoio. Isso é bom na medida em que partidos como o PT demonstram a sua voracidade na tentativa de chegar ao poder”, afirma.

Carlos Pio, Augusto Carvalho e o cientista político Benedito Tadeu César participam de um debate na TV Nacional, emissora da Radiobrás em Brasília.