Alemanha proíbe a atuação de organizações que protegem neonazistas e seus parentes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de setembro de 2011 as 07:28, por: cdb

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília –  O governo da Alemanha determinou hoje (21) a proibição a qualquer tipo de ajuda ou apoio a neonazistas e suas famílias. A decisão é do ministro do Interior do país, Hans Peter Friedrich, que expediu a ordem depois de analisar conclusões de investigações policiais sobre a atuação do grupo Organização de Ajuda a Presos Políticos Nacionais e Parentes (cuja sigla, em alemão, é HNG).

“Não é aceitável que radicais de direita, que estão na prisão, tenham sua posições reforçadas no que se refere a atuar contra o Estado de Direito”, diz o comunicado oficial do Ministério do Interior da Alemanha.

As investigações da polícia alemã concluíram que a HNG é a maior organização neonazista da Alemanha e tinha entre seus objetivos a “luta ativa contra a ordem democrática”. Criada em 1979, a organização contava com cerca de 600 membros, de acordo com os policiais.

No Brasil, nos últimos meses, policiais de São Paulo têm registrado queixas de ataques atribuídos a grupos neonazistas. As vítimas, em geral, são homossexuais e negros. No começo deste mês, depois de uma festa na capital paulista, grupos de punks e neonazistas se enfrentaram e o jovem Johni Raoni Falcão foi morto. Segundo policiais, Raoni pertencia ao grupo de punks.  

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa   //   Edição: Lílian Beraldo