Alemanha faz buscas para prevenir ataques durante cúpula do G-8

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de maio de 2007 as 11:41, por: cdb

Autoridades alemãs realizaram operações policiais em seis Estados do norte da Alemanha nesta quarta-feira devido a suspeitas de que radicais de esquerda estariam preparando ataques para perturbar a cúpula do G-8 no balneário báltico de Heiligendamm, em junho, disseram promotores.

O Ministério Público Federal alemão disse em nota que cerca de 900 agentes participaram das buscas em 40 lugares de Berlim, Brandemburgo, Hamburgo, Bremen, Schleswig-Holstein e Baixa Saxônia.

“Suspeitamos que as pessoas em questão, que pertencem à cena militante de extrema esquerda, tenham fundado uma organização terrorista ou sejam membros de tal organização, que está planejando incêndios criminosos e outras ações para perturbar gravemente ou impedir a cúpula do G-8 em Heiligendamm”, afirmou a nota.

O texto acrescentou que as autoridades alemãs suspeitam que o grupo esteja por trás de nove atentados de pequena dimensão na região de Hamburgo e de três na região de Berlim nos últimos dois anos.

A lista de ataques inclui um incidente com grande repercussão, em dezembro passado, quando um carro foi incendiado diante da casa do vice-ministro de Finanças, Thomas Mirow, e as paredes e janelas dele foram pichadas.

O ministro do Interior, Wolfgang Schaeuble, alertou neste ano que havia um risco de extremistas de esquerda lançarem ataques durante o ano em que a Alemanha ocupa a presidência do Grupo dos Oito (G8).

A chanceler (primeira-ministra) alemã, Angela Merkel, vai receber os líderes de Grã-Bretanha, Canadá, França, Itália, Japão, Rússia e Estados Unidos na cúpula de Heiligendamm, que deve ter como principais temas o aquecimento global e a coordenação econômica mundial.

A Alemanha não sofre com a violência de militantes de esquerda desde a época da Facção do Exército Vermelho (RAF), que anunciou sua dissolução em 1998, após mais de duas décadas cometendo assassinatos e sequestros.