Alemanha condena assassinato do premier sérvio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 17:42, por: cdb

O ministro do Exterior, Joschka Fischer, considerou extremamente grave o atentado que matou Zoran Djindjic. Fischer, que está em visita à ex-república iugoslava da Eslovênia, disse que o crime atingiu não só o presidente sérvio como pessoa, mas também a democracia e a estabilidade nos Bálcãs.

O comissário de Relações Exteriores da União Européia igualmente condenou o assassinato. Com Djindjic, a Sérvia (principal república da antiga Iugoslávia) havia progredido bastante na democratização, disse Chris Patten, em Estrasburgo.

O presidente sérvio foi morto a tiros diante da sede do governo em Belgrado. Segundo testemunhas, a polícia teria prendido dois suspeitos do crime no prédio em frente.

Formado na Alemanha, Djindjic era um político reformista, que engajou-se pela derrubada do ex-ditador Slobodan Milosevic e pela aproximação com o Ocidente.