Alckmin e Lula falam sobre compromissos com servidores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 15 de outubro de 2006 as 12:14, por: cdb

Os dois candidatos à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB-PFL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT-PRB-PCdoB), destacaram neste sábado, em entrevistas, a importância dos servidores públicos e os compromissos que pretendem estabelecer com a categoria.

Em Maringá (PR), onde esteve para um comício, Alckmin disse que buscará a valorização dos servidores durante toda a sua gestão e acusou o atual governo de dar reajuste apenas em ano eleitoral.

– Sou filho de funcionário público. Valorizo muito o servidor. O governo Lula valoriza as eleições. Eu, como governador, fiz o oposto. Dei reajuste em todos os anos de governo e não dei neste ano eleitoral – afirmou o ex-governador de São Paulo.

O candidato do PSDB também criticou o que chama de política artificial de desvalorização do dólar, que teria sido alcançada com juros altos resultantes de má gestão.

– Nós vamos contratar mais gente porque o dinheiro do desperdício vamos colocar na educação, na saúde e na segurança, áreas que empregam muita gente.

Lula falou sobre o funcionalismo público em entrevista na saída do Palácio da Alvorada. No local, cerca de 100 militantes e servidores aguardavam para cumprimentá-lo.

– As pessoas acham que os funcionários públicos ganham muito. Você pega gente da mais alta categoria ganhando entre R$ 6 e R$ 7 mil, enquanto na iniciativa privada essas pessoas ganhariam R$ 20, 30 mil – disse Lula, que passou o dia gravando programas eleitorais.

Ele considera “despropositado” discutir agora reajuste de salários tendo em vista o “bom reajuste” dado no atual governo e a tramitação do projeto de lei elaborado para reestruturar as carreiras.

– Eu venho do movimento sindical, sei como negociar. Montamos uma equipe de negociação que é a mais experiente que o país já teve, que são os companheiros do Dieese, que assessoram os trabalhadores brasileiros na negociação. Quando chegar o momento de negociar, você vai negociar e vai decidir.

Neste domingo, Lula tem café da manhã marcado com professores em um hotel de Brasília. À tarde, grava programas eleitorais. Alckmin permanece em São Paulo, onde ainda não tem agenda de campanha definida.