Al-Qaeda planeja ataque químico no fim de semana, dizem CIA e FBI

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de fevereiro de 2003 as 17:39, por: cdb

Os chefes da CIA e do FBI advertiram nesta terça-feira sobre a iminência de atentados da rede al-Qaeda nos Estados Unidos e no Golfo com produtos radiológicos, bacteriológicos e químicos.

O diretor da CIA, George Tenet, acusou o Iraque e o Irã de abrigarem membros importantes de uma rede terrorista liderada por um parceiro do líder da al-Qaeda, Osama Bin Laden, que estaria prestes a divulgar uma nova mensagem, segundo o departamento de Estado. Para Tenet, Bin Laden estabeleceu-se no Irã.

A CIA dispõe de informações sobre “planos que apontam para duas frentes: nos Estados Unidos e na Península Arábica”, declarou Tenet ao Comitê de inteligência do Senado.

A península arábica compreende Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Kuait, Bahrein e Qatar.

“O Iraque está abrigando membros importantes de uma rede terrorista liderada por Abu Musab Al Zarkawi, um parceiro de Osama Bin Laden”, insistiu Tenet no Congresso.

“Sabemos que a rede Al-Zarkawi está por trás dos planos de ataques com o uso de venenos na Europa _comentou o diretor da central de inteligência norte-americana_ e do assassinato de um funcionário do Departamento de Estado na Jordânia”.

Al Zarkawi seria um dos maiores especialistas da al-Qaeda no setor de armas químicas e biológicas.

Tenet disse aos parlamentares que as informações da CIA advertem sobre “planos coordenados para o final do Hajj [a peregrinação dos muçulmanos à Meca], no final desta semana, e indica que a trama poderia incluir a utilização de um dispositivo de dispersão radiológica assim como venenos e produtos químicos”.

O diretor da polícia federal (FBI), Robert Mueller, declarou ao mesmo Comitê que “envenenar reservas de alimentos e água constituirá no futuro uma tática atraente”, para a al-Qaeda.

Tenet explicou que Washington decretou o alerta laranja para “ganhar tempo a fim de operar contra os indivíduos que estão por trás da conspiração”.

Assegurou que a al-Qaeda está desenvolvendo novas formas de atacar, “incluindo o uso de mísseis terra-ar, venenos e métodos aéreos, terrestres e submarinos para atacar alvos marítimos”.

“A maior ameaça é representada por células da al-Qaeda nos Estados Unidos, que não identificamos”, disse Muller, informando que o FBI mobilizou unidades antiterroristas em todo o território.

“Nossas investigações sugerem que a al-Qaeda desenvolveu uma infra-estrutura de apoio dentro dos Estados Unidos, que permite à rede preparar outro atentado em território norte-americano”, explicou.

A al-Qaeda assumiu a autoria dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA, que deixaram 3.000 mortos, e vários outros ataques com explosivos contra alvos norte-americanos em outros países.