Al Qaeda convida para entrevista coletiva mundial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 as 13:11, por: cdb

Importante braço da mídia ligada à rede Al-Qaeda lançou, pela internet, um convite para que pessoas de todos os quadrantes do mundo, organizações e jornalistas mandem perguntas para uma entrevista aberta com o segundo homem da organização, Ayman al-Zawahiri. Anúncios publicados em sites ligado à Al-Qaeda disseram que as questões enviadas no período de um mês serão repassadas a Zawahiri “sem alteração, sejam elas de alguém que concorda ou discorda”.

A proposta da produtora Al-Sahab também foi feita ao final de um vídeo com uma entrevista com Zawahiri publicada na internet no domingo. No vídeo, também produzido pela Al-Sahab, Zawahiri disse que a coalizão militar liderada pelos Estados Unidos no Iraque “foi derrotada e procura uma saída” e que a decisão das tropas britânicas “de fugir” do país mostravam que “os insurgentes estão ganhando força”.

Os anúncios publicados pela Al-Sahab dizem que os interessados em participar da “entrevista aberta” com Zawahiri deverão enviar suas perguntas até 16 de janeiro para os sites da internet que normalmente publicam suas mensagens. A Al-Sahab pede que as perguntas sejam “breves e objetivas” e diz que “com a ajuda e o apoio de Deus” tentará publicar as respostas do número 2 da Al-Qaeda “assim que possível”.

O egípcio Zawahiri vem se tranformando no príncipal porta-voz da Al-Qaeda nos últimos anos, aparecendo em ao menos 16 vídeos e fitas de áudio neste ano – quatro vezes mais do que o líder da rede, Osama Bin Laden. Bin Laden e Zawahiri estão foragidos desde que as forças lideradas pelos Estados Unidos derrubaram seus aliados do Talebã do governo do Afeganistão logo após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, atribuídos à Al-Qaeda.

Acredita-se que os dois líderes da rede estejam escondidos na região da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. A organização IntelCenter, que monitora sites islamistas na internet, disse que a proposta para a entrevista foi a primeira feita por um alto líder da Al-Qaeda.