Ainda bem, o segredo bancário suíço foi salvo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de janeiro de 2003 as 13:50, por: cdb

Senhoras e senhores que têm dinheiro bem guardado na Suíça, seja decorrente de comissões em concorrências públicas, corrupção como o carioca Silveirinha ou por simples evasão fiscal.

Abram seu champagne e mesmo agora de manhã comemorem – isso mesmo, a Suíça salvou seu segredo bancário. Deixe o pessoal do Forum Social xingar, espernear, o Jean Ziegler escrever livros com aquele – a Suíça acima de qualquer suspeita. Na hora H, naquela hora do acerto final, a UE entrou num acordo, transitório é verdade, com a Suíça e aceitou sua proposta de desconto nos rendimentos das poupanças nas contas de europeus não residentes.

Como voces perceberam, esse desconto de 35% é para as contas dos europeus não residentes na Suíça. Vocês que vivem no Brasil não têm nada a ver com isso. Nada de descontos.

Os jornais suíços dão hoje como manchete – Suíça salva seu segredo bancário, é a euforia na Caverna do Ali Baba.

Quando fizer tchim com seu champagne lembre que sua alegria é compartilhada por muita gente boa, gente abonada, ex-ditadores, militares dos anos 60 a 80, empresários espertos, gente fina.

Hoje, nos luxuosos restaurantes em todo o mundo rico haverá gente passando caviar num toaster e dizendo Viva a Suíça! Viva o segredo bancário.

E já que sou maldoso, vou contar um indiscrição – quando o Forum de Davos deixou Davos e foi para Nova Iorque, os banqueiros suíços ficaram preocupados com medo de que os neocapitalistas ficassem por lá. Porque das centenas de VIPs que chegam a Davos, uma grande maioria aproveita para dar uma voltinha na praça, onde estão os bancos, para reforçar sua conta secreta. Com o segredo bancário salvo, esse velho costume vai continuar.