Agora o céu também é delas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de agosto de 2002 as 14:17, por: cdb

Dentro de pouco tempo, as mulheres poderão pilotar aviões militares da Força Aérea Brasileira (FAB). E, no futuro, uma mulher poderá assumir o Comando-Geral da Aeronáutica. As duas possibilidades foram abertas por uma portaria do Comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro Carlos de Almeida Baptista, publicada na última quarta-feira, no Diário Oficial da União.
A portaria autorizou a abertura de 20 vagas para candidatas do sexo feminino ao Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea, em Pirassununga (SP). A medida, segundo nota do Ministério da Aeronáutica, “vem ao encontro do sonho de milhares de jovens brasileiras de pilotar aviões militares”.
A Aeronáutica foi a primeira Força Armada brasileira a admitir a formação de mulheres como oficiais em uma Academia Militar, em 1996. Mas a participação feminina estava limitada até agora à área de intendência, ou seja, o quadro de oficiais que cuida da parte administrativa e financeira da Força. A primeira turma de 17 cadetes concluiu o curso de intendência, que tem duração de quatro anos, em dezembro de 1999. A partir de agora, as mulheres poderão também receber a formação de Oficial Aviador. Além de pilotar aviões civis e militares, elas poderão chegar ao mais alto posto da hierarquia militar na Força Aérea, que é o de tenente-brigadeiro-do-ar. Dessa forma, ficarão credenciadas, futuramente, para assumir o comando geral da instituição.