Afeganistão: Talebã invade distrito em província atingida por terremoto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de outubro de 2015 as 10:24, por: cdb

Por Redação, com Reuters – de Cabul:

Insurgentes do Talebã invadiram um distrito em uma das províncias no norte do Afeganistão atingidas por um forte terremoto nesta semana, ressaltando os problemas de segurança que têm dificultado a chegada de ajuda de emergência a regiões montanhosas remotas.

Autoridades disseram que combatentes assumiram o controle da capital do distrito de Darqand, na província de Takhar, na fronteira com o Tajiquistão, na madrugada desta quarta-feira, dando continuidade a uma campanha que tem se intensificado em todo o país este ano.

Insurgentes do Talebã invadiram um distrito em uma das províncias no norte do Afeganistão atingidas por um forte terremoto
Insurgentes do Talebã invadiram um distrito em uma das províncias no norte do Afeganistão atingidas por um forte terremoto

A área em torno Darqand não está entre aqueles com relatos de grandes danos desde o terremoto de segunda-feira, que matou mais de 300 pessoas em regiões do norte do Afeganistão e do Paquistão. Mas fica dentro da zona de impacto do tremor, e pelo menos 15 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas na província de Takhar.

Abdul Khalil Asir, porta-voz do chefe da polícia de Takhar, disse que as forças de segurança tinham se retirado do distrito após seis horas de combates durante a noite.

Asir não deu nenhuma informação sobre vítimas, mas o porta-voz Talebã Zabihullah Mujahid disse em um comunicado que 12 policiais foram mortos e vários ficaram feridos. Dois militantes do Talebã também foram mortos e três ficaram feridos, disse ele.

O Talebã abriu as portas, na terça-feira, para permitir que grupos de ajuda levem socorro de emergência às vítimas do desastre, mas combates contínuos deixam grandes dúvidas sobre a questão de segurança.

Na terça-feira, o Talebã exortou as agências de ajuda a avançar na entrega de suprimentos de emergência para as vítimas do terremoto que atingiu as regiões montanhosas remotas do norte do Afeganistão e Paquistão, matando pelo menos 300 pessoas.

Com o rigoroso inverno se impondo na região das montanhas Hindu Kush, epicentro do terremoto, a situação das milhares de pessoas que ficaram desabrigadas está se tornando cada vez mais grave.

– O Emirado Islâmico exorta os nossos bons compatriotas e organizações beneficentes a não demorarem no fornecimento de abrigo, comida e suprimentos médicos para as vítimas deste terremoto – disse o Taliban em uma mensagem de condolências às vítimas, usando seu nome formal. “E ordena igualmente a seus combatentes nas áreas afetadas que provenham o máximo de ajuda.”

No entanto, o esforço de socorro está sendo complicado pela instabilidade decorrente da insurgência do Taliban, já que boa parte da zona afetada é insegura para as organizações internacionais e as tropas do governo.

– A comida e outros itens de ajuda são insuficientes – disse Abdul Habib Sayed Khil, chefe da polícia de Kunar, uma das províncias mais atingidas, onde foi confirmada a morte de 42 pessoas. “Está chovendo há quatro dias e o clima está muito frio. Se não providenciarmos ajuda muito em breve, isso pode virar um desastre.”

Em consequência do sismo, estradas e comunicações estão interrompidas em muitas áreas e as autoridades e organizações humanitárias internacionais ainda estavam tentando avaliar a extensão dos danos.

No Paquistão, onde deslizamentos de terra e fortes chuvas e neve no fim de semana já haviam deixado milhares de turistas retidos em áreas montanhosas do norte, os militares do país, que são bem-equipados, estão fortemente envolvidos nos esforços de socorro.