Afeganistão entra na era digital

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de março de 2003 as 14:47, por: cdb

O Afeganistão entrou oficialmente nesta segunda-feira na era digital com a inauguração de dois sites com o domínio “.af”, informou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Trata-se de uma “ruptura com o passado” do Afeganistão, afirmou o PNUD, lembrando que no regime Talibã o acesso à internet era proibido com tanto rigor que quem mandasse um e-mail ou acessasse um site podia ser “condenado à execução”.

Os dois primeiros sites inaugurados são os do Ministério das Comunicações (www.moc.gov.af) e do PNUD (www.undp.org.af). O organismo das Nações Unidas deu apoio técnico para a instalação da internet no país.

O ministro das Comunicações, Mohamed Masun Stanakzai, considera que a entrada do Afeganistão na rede é “como conquistar parte de nossa soberania”, segundo comunicado do PNUD.

“É como fincar a nossa bandeira na internet”, disse o ministro, acrescentando que o desenvolvimento das telecomunicações no país é uma das prioridades do atual Governo de transição, liderado por Hamid Karzai.

O diretor do PNUD no Afeganistão, Ercan Murat, afirmou que “a ativação do domínio .af contribuirá para o desenvolvimento contínuo do país”.

“Nós nos felicitamos por fazer parte desse processo de estabelecer pontes para superar o abismo que existia desde a época do Talibã”, disse.

Durante o regime fundamentalista, um grupo de afegãos residentes no exterior já havia tentado registrar o domínio .af, o que lhes permitiu ter um controle efetivo até que, no final da década passada, a Autoridade para a Consignação de Números de Internet (IANA) decidiu deter a autorização de novos endereços.

Em 2001, as autoridades do regime talibã proibiram qualquer tipo de atividade não governamental na internet, que ficou sob a vigilância do Ministério para a Virtude e a Prevenção do Vício.

Segundo as regras estabelecidas pelo Talibã, qualquer usuário da rede poderia ser submetido a “castigos religiosos”.