Aécio insiste em realizar campanha de R$ 8,5 milhões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de agosto de 2001 as 19:18, por: cdb

O presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), voltou a afirmar, nesta terça-feira, que irá realizar uma campanha publicitária para melhorar a imagem dos deputados, apesar do que chamou de “críticas prematuras”. A realidade é que, seja entre parlamentares da direita, que apóiam o governo, sejam da oposição, a idéia do presidente da Câmara tem recebido mais opiniões contra do que a favor. O líder do PFL, pernambucano Inocêncio Oliveira, crê que no momento em que a Câmara discute a votação do chamado “pacote ético” não seria adequado fazer essa campanha.

Nem mesmo a argumentação de Aécio Neves, que garante ter recursos suficientes para realizar a campanha, sem pedir mais recursos ao Tesouro Nacional, as opiniões continuam antagônicas. “Esse ano a Câmara fará o que nunca fez em sua história, vai devolver o dinheiro economizado com os cortes administrativos aos cofres públicos o dinheiro”, insiste Neves.

– Essa propaganda do Aécio pode até prejudicar – rebateu o presidente nacional do PT em exercício, deputado federal José Genoino (SP). O dirigente petista considera que “melhor que gastar todo este dinheiro é aprovar a agenda ética”. Genoino citou medidas defendidas pelo PT na agenda ética em tramitação, como a substituição do recesso parlamentar por um mês de férias ou a restrição da imunidade parlamentar.

– Se o Jader não for punido, este dinheiro todo não servirá para nada – diz Genoino.

A vice-líder do PT na Câmara, deputada federal Iara Bernardi (SP), também criticou ontem a preocupação do presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), em investir R$ 8,5 milhões na imagem da Casa. Segundo a petista, “as cassações freqüentes de deputados e senadores, as denúncias de corrupção e a subserviência ao Executivo”, prejudicam “desde sempre” a imagem do legislativo. “A propaganda da Câmara tem que ser feita de ações concretas, votações, independência, atuação mais transparente”, disse ela. A deputada petista acredita que a propaganda proposta pelo líder do governo seja feita “do trabalho positivo de parte dos deputados”.