Advogada nega envolvimento de Beira Mar na morte do juíz

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de março de 2003 as 13:11, por: cdb

Em entrevista à rádio CBN, a advogada de Fernandinho Beira-Mar, Cecília Machado, negou qualquer envolvimento do cliente na morte do juiz-corregedor de Presidente Prudente, Antônio José Machado Dias, ocorrida na noite da última sexta-feira na mesma cidade.

“É muito covarde colocar o Fernando (Beira-Mar) como faz tudo…É muito fácil atribuir a ele”, disse.

O juiz assassinado era responsável pela concessão de benefícios a detentos e pela liberação e transferência de presos da região, entre eles líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) e Fernandinho Beira-Mar, que está no Presídio de Segurança Máxima de Presidente Bernardes.

Na manhã deste sábado, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, Carlos Miguel Aidar, disse à CBN que considera muita coincidência que a morte do juiz aconteça após Beira-Mar receber no presídio a visita de sua advogada na última segunda-feira.

A advogada afirmou que a conversa que teve com seu cliente foi gravada e ameaçou processar as pessoas que insinuam a relação de sua visita na última segunda-feira com o assassinato do juiz-corregedor.