Administrador do piscinão de São Gonçalo pede ajuda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 as 08:36, por: cdb

O superintendente de Projetos Especiais da Prefeitura de São Gonçalo, Sérgio Reimol e responsável pela administração do piscinão considerou inadmissível os furtos de cabos de energia no lago artificial. O último foi registrado na sexta-feira, quando foram levados 240 metros de fios de energia que ligam a bomba de captação de água da Baía de Guanabara  para a área de lazer. Foi o segundo caso em pouco mais de uma semana.

– É inadmissível que atos de vandalismo como este estraguem o lazer dos moradores. Por isso pedimos que a população colabore com denúncias ou qualquer informação importante, pediu Reimol.

A Prefeitura estimou em em R$ 3,1 mil o prejuízo, levando-se em conta que o metro do cabo custa R$ 13. O furto anterior ocorreu na quarta-feira da semana passada. Na ocasião, a administração repôs o material para evitar que a área de lazer fosse desativada durante o Carnaval.

 O registro destes dois crimes foi feito na 73ª DP (Neves). Segundo a Prefeitura, a Secretaria de Segurança Pública de São Gonçalo, junto à Superintendência de Projetos Especiais, vão pedir apoio a Polícia Militar para intensificar o policiamento da área.

Quanto à reposição dos cabos, a Prefeitura informou que será feito o mais rápido possível, mas não determinou um prazo. A assessoria descartou, contudo, o risco da interdição da piscina e informou que a água é mantida limpa, sem a bomba, em até quatro dias.

Os cabos de energia passam por dentro do mangue, que fica a 100 metros do muro do piscinão. No entanto, buracos no muro próximos ao local do furto evidenciam a fragilidade da vigilância da principal área de lazer de São Gonçalo. Para os quiosqueiros e freqüentadores do parque resta a preocupação e pedidos de providências à atual administração. 

A manutenção da área de lazer que era de respopnsabilidade do Estado foi transferida recentemente para a administração municipal, depois de vários meses de fechamento para manutenção.