Adiados depoimentos dos parentes de Maninho

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 1 de outubro de 2004 as 01:25, por: cdb

A família de Waldemir Paes Garcia, o Maninho, adiou o depoimento marcado para a última quinta feira, no Rio de Janeiro para falar sobre a morte do bicheiro, ocorrida na noite de terça-feira quando ele saía de uma academia de ginástica em Jacarepaguá.

A delegada titular da 41ª DP (Tanque), Adriana Belém, ouviu na tarde de quinta feira um tio do contraventor. Ele afirmou que “a família ainda está muito abalada com o crime e sem condições emocionais de prestar depoimentos”. Para ouvir os três filhos, a esposa e o pai, o bicheiro Miro, um novo depoimento será marcado. 

A delegada já ouviu o professor de ginástica da academia “Body Planet“, identificado apenas como Feu. Ele poderia ter visto o carro usado pelos criminosos. A polícia também apreendeu o celular de Maninho e pediu a quebra de sigilo telefônico. Para a delegada, o crime tem características de uma execução.

Na última quinta feira, cerca de 300 pessoas, entre parentes, amigos e membros de escolas de samba compareceram ao enterro do bicheiro. Ele foi sepultado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.