Acusado de assassinar sobrevivente do massacre de Corumbiara, em Rondônia, era foragido da Justiça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 31 de maio de 2011 as 08:55, por: cdb

Acusado de assassinar sobrevivente do massacre de Corumbiara, em Rondônia, era foragido da Justiça

Ozéas Vicente estava envolvido em assassinato no Amazonas. Ele apresentou-se à delegacia acompanhado do advogado. Polícia não descarta possibilidade de haver um mandante para o crime

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 30/05/2011, 16:40

Última atualização às 17:02

São Paulo – Segundo a Polícia Civil e a Secretaria de Defesa de Rondônia, Ozéas Vicente, suspeito de assassinar Adelino Ramos, líder do Movimento Camponês Corumbiara (MCC), na última sexta-feira (27), era foragido da Justiça ainda antes do caso. Ele entregou-se acompanhado de advogado nesta segunda-feira (30), três dias depois do homicídio. O acusado apresentou-se à sede da Delegacia Regional de Extrema, a cerca de 45 quilômetros do local do crime.

Adelino Ramos, o Dinho, integrava o Movimento Camponês Corumbiara e morava no Assentamento Agroflorestal Curuquetê, no município de Lábrea, na divisa de Amazonas com Rondônia. Ele havia denunciado a atuação de madeireiros na região, e por isso parentes e amigos acreditam que o crime se trate de vingança. Ele era ainda um dos sobreviventes do massacre de Corumbiara, comandado por fazendeiros e policiais contra trabalhadores rurais sem-terra em 1995.

De acordo com o Rondônia Agora, o diretor-geral de Polícia Civil, Claudionor Soares Muniz, e o secretário da Defesa Marcelo Bessa, concederam entrevista coletiva na tarde desta segunda, em Porto Velho (RO). O suspeito ainda não foi ouvido e está a caminho da capital do estado, onde prestará depoimento.

Segundo Muniz, a investigação acredita que o homicídio tenha sido uma retaliação por acusações feitas por Adelino contra Ozéas diante do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O suspeito estava envolvido em ações irregulares junto a madeireiras na região. Existe ainda a possibilidade de haver um mandante do crime. Ozéas já era foragido por envolvimento com outro assassinato no Amazonas.

O líder camponês vinha sofrendo ameaças de morte nos dias anteriores à morte, revelaram familiares em depoimento. Segundo o delegado Muniz, porém, não houve denúncias nem registro de ocorrência policial. Adelino teria sido seguido pelo assassino antes dos disparos em local público e com testemunhas. A vítima teria reconhecido o autor do crime e até mencionado seu nome antes de morrer.

Os detalhes do depoimento de Ozéas serão conhecidos apenas nesta terça (31), em nova entrevista coletiva. O secretário de Defesa, Marcelo Bessa, promete preservar a imagem do suspeito durante as investigações.

Leia também:
Governo anuncia medidas para evitar mais mortes no campoInsegurança jurídica por causa do novo Código Florestal é pano de fundo de assassinatos no Pará Suspeito de matar camponês em Rondônia é preso No mesmo assentamento onde casal de ambientalistas foi assassinado no Pará, agricultor é encontrado mortoSobrevivente do massacre de Corumbiara vive há 16 anos como “foragido da injustiça”Sobrevivente de Corumbiara é assassinado na AmazôniaMovimento pede a Dilma nova investigação do massacre de CorumbiaraCorumbiara: promotor revela surpresa com impunidade a fazendeiros