Acordo entre Uruguai e EUA abala o Mercosul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de janeiro de 2007 as 12:33, por: cdb

Entrou em vigor, nesta sexta-feira, o acordo de comércio e de investimentos firmado entre os governos do Uruguai e dos Estados Unidos  em Montevidéu. O Tratado Marco de Investimentos e Comércio (Tifa, na sigla em inglês) é visto pelos países sócios do Mercosul como um passo anterior a um Tratado de Livre Comércio (TLC). Pelas regras atuais do bloco, o Uruguai teria de deixar o Mercosul, caso assinasse um TLC com qualquer país, o que abala ainda mais a estabilidade do grupo de nações sul-americanas. O ministro da Economia do Uruguai, Danilo Astori, disse a jornalistas em Montevidéu que nada está descartado.

– Agora vamos nos concentrar neste acordo marco. O que virá depois não podemos antecipar nem descartar. Vamos observar isso passo a passo – disse Astori, segundo a agência inglesa de notícias Reuters.

Astori defendeu o acordo como uma forma de obter crescimento e criação de postos de emprego no Uruguai. O Tifa assinado entre Washington e Montevidéu prevê a criação de um grupo integrado entre os dois países voltado para promover o intercâmbio comercial e de investimentos. O chefe da delegação do governo dos Estados Unidos em Montevidéu, John Veroneau, disse que o acordo não é apenas uma forma de aumentar as relações comerciais com o Uruguai, “mas também com todos os países sul-americanos”.

No ano passado, o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, enfrentou oposição dentro da coalizão de governo Frente Ampla ao negociar um acordo comercial com os Estados Unidos. Segundo o site do jornal uruguaio El País, houve protestos do lado de fora do Edifício Libertad, onde foi assinado o acordo.