Acordo entre Petrobras e Pedevesa sobre refinaria é adiado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de setembro de 2009 as 12:52, por: cdb

A Petrobras e PDVSA adiaram, mais uma vez, a assinatura do acordo que colocará a estatal venezuelana como parceira da brasileira na refinaria Abreu Lima, em Pernambuco, projeto inicialmente estimado em US$ 4 bilhões. Segundo a assessoria da Petrobras, a viagem à Venezuela do presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, acompanhando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no domingo, foi cancelada porque “o acordo não foi concluído, não deu tempo”, explicou uma assessora sem dar detalhes.

Objeto de conversas desde o início do governo Lula, em abril de 2003, o empreendimento era atrelado inicialmente a um projeto de exploração da Petrobras de uma bacia na faixa petrolífera do Orinoco, na Venezuela. Segundo informação da Petrobras no início deste mês, as pendências que adiaram sucessivamente a assinatura do acordo já estão resolvidas e a PDVSA vai ficar com 40% da refinaria, e a estatal brasileira com 60%.

O fornecimento do petróleo será cotado ao preço internacional e, se a PDVSA quiser vender no mercado brasileiro, terá que se submeter aos trâmites da lei brasileira. Inicialmente, a venezuelana queria vender sua parte do refino no Nordeste e cobrar um preço maior do que o de mercado pelo petróleo que seria importado pela refinaria.

A Abreu Lima, que terá capacidade para processar 230 mil barris de petróleo por dia, sendo metade fornecida por cada sócio, já teve sua construção iniciada pela estatal brasileira enquanto aguarda o acordo definitivo. A previsão é de que seja concluída em 2011.