Ações da Petrobras disparam com balanço auditado e pré-sal garantido

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 16 de abril de 2015 as 11:23, por: cdb
Os papéis da Petrobras retomam trajetória de alta após anúncio de balanço auditado
Os papéis da Petrobras retomam trajetória de alta após anúncio de balanço auditado

Os papéis da Petrobras eram negociados na principal bolsa de valores brasileira, nesta quinta-feira, em uma pequena queda após apresentar forte valorização nos últimos dois meses e meio. O valor passou de R$ 8,18, em 30 de janeiro, para R$ 12,86, na véspera, com as ações da petroleira em forte alta. No período, o aumento no valor de cotação das ações pelo mercado é de 57,2%.

O aquecimento nos preços das ações da Petrobras renovou a máxima do ano na Bovespa, impulsionada também pelas ações das siderúrgicas Usiminas e CSN. O vencimento de opções sobre Ibovespa e índice futuro neste pregão também deu fôlego extra à bolsa brasileira.

A subida de R$ 4,68 na cotação dos papéis Petr4 na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) desde o dia 30 de janeiro ajuda a estatal recuperar parte das perdas sofridas no final ano passado.

Os papéis da Petrobras operam em forte alta desde a semana passada. O crescimento aponta indicativo de continuidade devido, entre outras coisas, ao anúncio de balanço auditado da companhia. Os dados devem ser divulgados pela estatal entre sexta e quarta-feiras. No final da tarde, a Petrobras também informou que o plano de desinvestimento da companhia divulgado no início de março não inclui ativos do pré-sal, o que animou ainda mais os investidores.

A empresa divulgou comunicado ao mercado em resposta a pedido de esclarecimentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre reportagem de um jornal especializado, o qual afirmava que a Petrobras teria incluído ativos do pré-sal no pacote de desinvestimentos. Segundo a Petrobras, o plano de desinvestimentos tem valor total de US$ 13,7 bilhões entre os anos de 2015 e 2016.

“Este plano faz parte do planejamento financeiro da companhia que visa a redução da alavancagem, preservação do caixa e concentração nos investimentos prioritários. O plano de desinvestimento, conforme aprovado, não contém ativos do pré-sal”, afirmou a Petrobras, em nota ao mercado.

Braskem

A suposta intenção de a Petrobras vender sua participação na Braskem também impulsionou para cima os preços das ações, acreditam especialistas. Em esclarecimento sobre essa possível operação de venda, a Petrobras afirmou em nota que tem carteira de desinvestimento “prospectiva”, ou seja, com foco na identificação de reservas de interesse e valorização. Os ativos a serem vendidos, seguindo essa lógica, dependem, portanto, “da análise continua dos negócios da companhia”.

No início do mês passado, a Petrobras anunciou que o valor dessa carteira no período 2015/2016 somava U$$ 13,7 bilhões (cerca de R$ 42 bilhões a preços atuais), incluídos os segmentos de exploração e produção (30%), abastecimento (30%), gás e energia (40%). O plano de negócios anunciado pela empresa no fim de 2013, relativo ao período 2014-2018, previa desinvestimentos de no máximo US$ 11 bilhões (ou cerca de R$ 34 bilhões).

Com isso, a geração de receita de caixa adicional com o programa de desinvestimento, em período da metade do prazo previsto anteriormente, é de R$ 12 bilhões. A iniciativa reduziria a necessidade de buscar recursos em empréstimos nos mercados financeiro e bancário.

Ao longo deste mês, de acordo com o site InfoMoney, a estatal petrolífera já ganhou mais de R$ 46 bilhões de valorização patrimonial, em razão da alta no valor das ações. A estimativa da agência de notícias Bloomberg é que a estatal atualmente valeria no mercado cerca de R$ 166 bilhões.