ACM promete processar aqueles que o acusam de grampo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de fevereiro de 2003 as 19:50, por: cdb

O senador Antonio Carlos Magalhães avisou que irá processar o ex-deputado Benito Gama que o acusa de tê-lo grampeado durante a campanha eleitoral. Além de Benito, o líder do PT na Câmara, Nelson Pelegrino, o primeiro-secretário da Casa, Geddel Vieira Lima, e outros parlamentares de oposição a ACM também foram vítimas de grampo no ano passado.

“Aqueles que têm imunidade parlamentar, eu não posso processar, mas aqueles que não têm, que se preparem”, ameaçou ACM. Ele foi duro nas críticas a Benito. “Todos nós devemos ter pena dele. Ele foi derrotado e quer encontrar uma justificativa para isso. Vamos ajudá-lo”.

O senador baiano voltou a afirmar que não tem qualquer envolvimento no episódio. Ele alegou que recebeu um relatório, no meio do ano passado, com conversas envolvendo os deputados Geddel e Benito Gama. Segundo ele, são conversas comprometedoras para autoridades federais.

“Estou sendo vítimas de levianos. Estão querendo me colocar como parte de algo que eu não sou parte. As anotações que fiz são do mesmo gênero de anotações que faço nos meus livros e em outros documentos que recebo”.

O senador garantiu, no entanto, que nunca recebeu documentos com gravações envolvendo Nelson Pelegrino ou os ministros Jacques Wagner, do Trabalho, e Waldir Pires, da Corregedoria Geral da União. ACM defendeu a investigação do caso, alegando que já existe uma CPI instalada na Assembléia Legislativa da Bahia, e que a secretaria de Segurança Pública do Estado já está também investigando o caso.

Sobre as declarações de que o governo da Bahia não poderia ter tomado a decisão de grampear políticos sem a sua autorização, ACM foi irônico. “Na Bahia, eu sou como o Senhor do Bonfim. Sou responsável por tudo que acontece, seja de bom ou ruim”.