ACM, José Roberto Arruda e Jader Barbalho voltam ao Congresso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 7 de outubro de 2002 as 23:47, por: cdb

Antônio Carlos Magalhães, José Roberto Arruda e Jader Barbalho, três senadores que renunciaram a seus cargos para evitar a cassação do mandato de senador na atual legislatura, estarão de volta ao Congresso Nacional em 2003, favorecidos pela consagração nas urnas em seus respectivos estados.

ACM e Arruda preferiram uma “saída à francesa” quando seus nomes surgiram como os responsáveis pelo escândalo de adulteração do painel eletrônico de votação do Senado. Para o parlamentar baiano, parecia o fim de uma carreira pública de mais de cinco décadas.

Jader Barbalho, por sua vez, renunciou por suspeita de desvio de verbas na extinta Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

ACM voltará ao Senado como o mais votado do estado da Bahia, com 30,60 por cento dos votos válidos.

Arruda concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados e conseguiu 26,49 por cento dos votos dos eleitores do Distrito Federal.

Barbalho, que chegou a ter a sua prisão preventiva pedida pela Justiça do Mato Grosso e depois revogada dias antes da eleição, obteve, dos eleitores do estado do Pará, seu reduto eleitoral, 13,21 por cento dos votos.

Os três ex-senadores que renunciaram e que agora retornam ao Congresso Nacional foram perdoados por seus eleitores, que no ano passado os viram mentir descaradamente na tribuna do Senado, negando envolvimento, e depois, com a renúncia, assumindo suas respectivas culpas nas denúncias.

A renúncia foi a estratégia que ACM, Arruda e Barbalho encontraram para não ficarem inelegíveis e tentarem a sorte. Tiveram sorte.